Se aulas voltarem na pandemia, professores bolsonaristas darão mais trabalho que as crianças, diz psicóloga

13/08/2020

"Eles são fanáticos e seguem os péssimos exemplos do presidente. Em alguns casos, é preciso internação psiquiátrica antes do retorno às escolas."

COMPARTILHE!

Publicidade

Educação | Uma psicóloga curitibana consultada via Messenger pelo Dever de Classe disse que os professores bolsonaristas darão mais trabalho que as crianças, caso aulas presenciais retornem na pandemia de coronavírus. Ela aborda o fanatismo dos seguidores do presidente e diz que, em muitos casos, é preciso internação psiquiátrica antes da volta às escolas. Confira, após o anúncio.

Dra, por que a senhora avalia que os professores bolsonaristas darão mais trabalho que as crianças, em caso de volta às aulas na pandemia? (Por receio de retaliações, a especialista prefere não se identificar).

Eles são fanáticos, perderam a noção de realidade e seguem os péssimos exemplos do presidente. Basta ver pela mídia o Bolsonaro em meio a multidões no Nordeste e outros cantos do País. Os seguidores chegam perto, querem abraçar, beijar, mesmo o capitão sem máscara e após  dizer que se contaminou. Nas escolas, dificilmente se submeterão aos protocolos de segurança. Continua, após o anúncio.

A senhora não acha que está exagerando?

Claro que não! Vejam vocês mesmos as imagens. Eles seguem piamente o que o presidente diz e tentam imitá-lo em tudo. Se o Bolsonaro não dá importância a máscara ou outro equipamento de segurança, eles também não dão. E muitos tomaram, sob conselho público do presidente, cloroquina e outros remédios. Por isso, chegarão nas escolas dizendo que estão imunes ao vírus. Basta lembrar também que acreditam ainda hoje em mamadeira de piroca e kit gay. Vão dar muito trabalho.

O que a senhora aconselha, então?

Nos casos mais leves, acho que uma boa e firme conversa com a direção da escola e os orientadores pedagógicos pode resolver. Mas há os muito radicais. Estes precisam passar por uma internação psiquiátrica antes do retorno. É triste, mas é a realidade.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.