Plano de reeleição passa pelo fim da estabilidade e PEC 32 logo no início de 2021, diz analista 

31/12/2020

"Bolsonaro terá que mostrar no próximo ano que é capaz de desmontar o serviço público, tal como fez em relação à previdência social. Sem isso, certamente será descartado pelos grandes grupos econômicos que o elegeram e o mantêm a qualquer custo no poder."

Publicidade

Presidente Bolsonaro. Projeto de reeleição ainda tem um árduo caminho a seguir.  Foto: Alan Santos/PR/Agência Brasil.
Presidente Bolsonaro. Projeto de reeleição ainda tem um árduo caminho a seguir. Foto: Alan Santos/PR/Agência Brasil.

Economia | Para tentar se reeleger em 2022, o presidente Jair Bolsonaro terá que aprovar logo no primeiro semestre do próximo ano a Pec 32, que cria a Reforma Administrativa e traz uma série de danos aos atuais e futuros servidores dos três poderes da União, estados e municípios. Medida prevê fim da estabilidade, redução radical de concursos públicos, corte de direitos já adquiridos, terceirizações etc. Tese de que reforma é vital para a reeleição de Bolsonaro é defendida pelo Cientista Social carioca Alan N Nogueira, consultado pelo Dever de Classe, via Messenger. Veja, após o anúncio.

Aprovar logo a Reforma Administrativa e atacar funcionalismo é bom para a reeleição de Bolsonaro? Por quê

Bolsonaro foi eleito e é mantido no poder porque aceitou cumprir à risca a agenda econômica dos bancos e das grandes corporações econômicas. Ele consolidou a Reforma Trabalhista do Temer e aprovou a Reforma da Previdência, acabando na prática com a aposentadoria pública. Todos esses projetos servem a quem? Servem ao grande capital, pois aumenta enormemente os lucros deles a médio e longo prazos. A Reforma Administrativa vai na mesma linha. Acaba estabilidade e nivela por baixo o servidor público e o privado. Elimina direitos já conquistados, reduz concursos públicos e permite mais terceirizações. Na prática, privatiza o Estado. Quem ganha? Ora, a burguesia só tem uma ideologia: manutenção e ampliação dos seus lucros. Se na atual conjuntura, Bolsonaro é quem é o melhor para isso, é com ele que vão continuar. E tem que aprovar logo no primeiro semestre de 2021, pois do segundo semestre em diante, parlamentares só pensam em suas reeleições. Continua, após o anúncio.

Mas e se o funcionalismo se levantar contra essa reforma?

Seria bom, mas continua a ser uma utopia. Veja a Reforma Trabalhista e a da Previdência. Elas ferram com o trabalhador público e privado. Mas só que os efeitos delas ainda não começaram a aparecer de forma mais dura, principalmente a da Previdência. Tanto é que a popularidade do Bolsonaro ainda é muito alta, inclusive dentro do funcionalismo da União, estados e municípios. Quando o povo acorda, o estrago já tem sido feito.

O senhor fala dos grandes grupos econômicos, mas a Globo faz duras críticas ao Bolsonaro.

Desculpe-me, mas não é verdade. Ela faz críticas pontuais às atrocidades que o presidente fala todo dia em relação a mulheres, negros, ditadura etc. Mas não há uma só crítica da Globo ou de qualquer outro grande setor capitalista à política econômica do governo Federal. Muito pelo contrário: Globo & Cia apoiaram as reformas trabalhista e da previdência. E apoiam também essa Pec 32 da Reforma Administrativa. Nisso, estão com Bolsonaro feito unha e carne. Acesse lá a mídia deles que vocês verão. Tanto é verdade que nunca moveram uma palha de forma concreta para impitimá-lo. Em 2019, a Globo e toda a grande mídia burguesa chamaram o povo a sair às ruas contra as reformas? Claro que não. Eles fizeram isso contra a Dilma e o PT. No final, se Bolsonaro aprovar a reforma administrativa, tudo leva a crer que é com ele que vão ficar. Até mesmo para que possa consolidar na prática as reformas. Ele pode xingar, esculhambar e até bater em algum repórter da própria Globo que nada lhe ocorrerá, pois nos bastidores está com os grandes patrões. 

O senhor acredita que ele conseguirá aprovar essa Pec 32? (Ver resposta após o anúncio).

Sim, é bem possível. A maioria dos parlamentares da Câmara e Senado tem perfil liberal e apoia todas as medidas dos grandes capitalistas. Mesmo os que se dizem oposição a Bolsonaro, como Rodrigo Maia, são defensores árduos dessa Pec. A única saída é a CUT e os partidos de esquerda conseguirem mobilizar o povo, ainda que seja pelas redes sociais. Do contrário, a reforma passa. E aí, Bolsonaro se torna muito forte para 2022.

E se não conseguir aprovar?

Será descartado pelos seus grandes financiadores. Com isso, enfraquece ou pode até desistir de concorrer.

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Benefício será depositado na conta de professores e todos os demais servidores da educação ainda neste mês de dezembro. Detalhe do anúncio mostra que não é só do Fundeb que há sobras de recursos, algo que deve ser observado pelo magistério de todo o Brasil.
Medidas visam adequar prefeitura de Teresina à Reforma da previdência criada pelo presidente Jair Bolsonaro, do qual o prefeito José Pessoa (MDB) é forte aliado. Direção do Sindserm-THE chama mobilização para Câmara Municipal, com o intuito de barrar as horrendas iniciativas.
Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...