Prefeitos querem pagar o piso e CNM não deixa

07/03/2022

Paulo Ziulkoski continua a usar argumento falso para orientar gestores a dar calote nos docentes. Mesmo denunciado ao Ministério Público, presidente da entidade insiste em cometer crimes contra o magistério. CNTE precisa reforçar denúncias contra esse malfeitor.

Paulo Ziulkoski, presidente da CNM consegue ser pior que muitos prefeitos e governadores. Foto: Câmara dos Deputados.
Paulo Ziulkoski, presidente da CNM consegue ser pior que muitos prefeitos e governadores. Foto: Câmara dos Deputados.

Educação | O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM) continua a agir de forma criminosa para impedir que prefeitos paguem o reajuste de 33,23% ao magistério. Embora centenas de gestores indiquem que querem pagar e que há recursos para isso, Paulo Ziulkoski usa de forma desavergonhada uma fake news para sabotar o direito dos professores. 

Acima do STF

Esse senhor age como se fosse alguma autoridade maior que os próprios prefeitos e governadores ou mesmo superior ao Supremo Tribunal Federal (STF). CNTE precisa reforçar denúncia contra esse malfeitor junto a Ministério Público. Após o anúncio, veja como ele está agindo para impedir que centenas de prefeitos cumpram o reajuste que já deveria estar sendo pago desde janeiro.

Leia também: 

A mentira como arma da CNM contra o reajuste do magistério

Para sabotar o reajuste dos professores, Paulo Ziulkoski está participando de assembleias on-line de gestores para reforçar a mentira de que a correção salarial de 33,23% não tem base legal porque seria baseada apenas em uma portaria do Ministério da Educação (PORTARIA Nº 67, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2022). Matéria publicada em 25 de fevereiro no site da CNM não deixa dúvidas quanto a tal prática irresponsável e criminosa.

Leia tambémPrincipais dúvidas sobre o reajuste do piso do(a) professor(a)

Trecho da matéria da CNM:

Ao orientá-los, o presidente da CNM [Paulo Ziulkoski] explicou que a portaria é um ato normativo e não tem força de lei, logo não pode ser usada para nortear o reajuste [de 33,23%], pois fere o princípio da legalidade. "Nesse momento principal, como deve ser sempre na nossa vida, a gente precisa de serenidade para não agir pela emoção e nem politicamente", alertou

Aos gestores municipais integrantes da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi-PR), Ziulkoski falour para quase 60 participantes.

Após o anúncio, veja a verdade.

Lei Federal e STF: a verdade

O reajuste de 33,23% não está amparado apenas nesta portaria do MEC citada pela CNM. Tal documento apenas ratifica o que está em pleno vigor na Lei Federal 11.738/2008 e em recente decisão do STF que reconheceu, por unanimidade, a constitucionalidade dessa legislação e do critério de reajuste previsto na mesma. Leia AQUI.

Reforçar ações contra as mentiras da CNM

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) precisa reforçar as ações contra a CNM e o presidente criminoso desta entidade, o senhor Paulo Ziulkoski. Do contrário, milhares de profissionais do magistério continuarão a ser prejudicados.


Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite também para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org - João R P Landim Nt 

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.