Bolsonaristas de classe média não perdem a pose, mas vendem joias e até sapatos caros para quitar dívidas

20/01/2021

No Brasil, 27 % dos lares de classe média gastam mais do que ganham, ou seja, estão muito endividados, segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Pandemia de Covid-19 agravou situação.

Publicidade

Dondocas no sufoco. Imagem ilustrativa: arquivos Webnode.
Dondocas no sufoco. Imagem ilustrativa: arquivos Webnode.

Economia | A crise econômica agravada pelo governo Bolsonaro e a pandemia de Covid-19 tem afetado bastante a classe média no Brasil, em particular aquela que, mesmo sem poder, quer ser mais elitizada e consumista. 

Muitos viram seus negócios quebrar. A péssima distribuição de renda e o forte desemprego fizeram os compradores desaparecer. Dado da OCDE mostra que 27,6% da classe média, mesmo antes da pandemia, já estavam muito endividados.

Uma eleitora piauiense do atual presidente revelou ao Dever de Classe que o sufoco está tão grande que empenha joias e vende até uns sapatos caros que tem para pagar contas. "E o pior é que o banco e as colegas só querem dar mixaria", lamenta. Continua, após o anúncio.

O que disse a *eleitora e fã de Jair Bolsonaro:

"Abri uma loja no shopping em 2007 e vendia bem. A coisa começou a ficar mais difícil em 2017. Em 2020, não deu mais para segurar e quebrei. Agora, empenho joias e tive que vender até uns sapatos caros para pagar conta. E o pior é que só oferecem mixaria. Mas não acho que isso seja culpa do presidente Bolsonaro. O problema começou bem antes e acho que vocês desse site sabem do que estou falando."

*Ela pediu para ficar no anonimato.

Continua, após o anúncio.

Publicado no G1 em 10/04/2019 16h22.

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.
Ao todo, percentual de corte chega a 96% para 2023, o que é um enorme prejuízo para as crianças e profissionais que atuam na área. Educação de Jovens e Adultos (EJA) também foi tesourada em 56% de suas verbas. Um massacre em toda a Educação Básica