Bons sinais para o reajuste do magistério em janeiro de 2022

01/12/2021
Números oficiais mostram alta de recursos nos estados e municípios. Imagem: aplicativo Canva.
Números oficiais mostram alta de recursos nos estados e municípios. Imagem: aplicativo Canva.

Landim Neto, editor do site 

+ artigos deste autor

Educação | Consulta no site do Banco do Brasil (BB) revela que estados e municípios não têm muito do que reclamar em relação aos recursos recebidos até o mês de novembro. 

Seja na totalidade dos repasses, seja especificamente quanto ao Fundeb, dinheiro — no geral — cresceu de forma robusta, em comparação com o mesmo período de 2020. Confira aqui.

Especificamente para a Educação, tais crescimentos são bons sinais para o reajuste de 31,3% previsto para o magistério em janeiro de 2022. Vamos a alguns números, após o anúncio.

O Estado do Amazonas, por exemplo, recebeu de repasses totais do Fundeb em novembro R$ 220.538.447,71. Valor é 104,14% a mais do recebido no mesmo período de 2020: R$ 108.030.330,27. 

Alta de recursos ocorreu também em todos os demais entes da Nação, à exceção apenas de um, conforme se pode conferir aqui.

Elevação de caixa reflete as novas regras do novo Fundeb, aprovadas em 2020. Dentre as mudanças está a majoração da complementação do Governo Federal para esse fundo, que subiu de 10% para 23%, com incremento de 2% já a partir deste ano. Continua, após o anúncio.

Outro fator que engorda o caixa dos gestores é um incremento bilionário, extra e permanente para o Fundo de participação dos Municípios (FPM). Em outubro, o Congresso Nacional promulgou tal benefício, com vigência já a partir de 2022, quando quase R$ 1,5 bi a mais cairá nas contas das prefeituras.

Diante dos fatos revelados nos números, prefeitos e governadores não têm justificativas para negar o reajuste previsto para os educadores. Há dinheiro e é lei. Têm de cumprir.



Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. Aproveite para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

PIX - Celular 86988453625 João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.