Bolsonaro é parceiro' do ditador que criou a "Lei da Escravidão" na Hungria! Leia e compartilhe...

28/02/2019 08:03

Medida criada por Viktor Orbán amplia de 250 para 400 o limite de horas extras por ano que empregadores podem exigir de seus funcionários. Por telefone, Bolsonaro disse que apoia o ditador, por isso extinguiu no Brasil o Ministério do Trabalho e propõe acabar a aposentadoria dos trabalhadores

Internacional | Viktor Orbán é o primeiro-ministro da Hungria e governa seu país com políticas conservadoras e de forma ditatorial. Em dezembro de 2018, Orbán deu como presente de Natal aos trabalhadores húngaros uma lei que amplia de 250 para 400 o limite de horas extras por ano que empregadores podem exigir de seus funcionários. Um açoite no povo e um agrado aos patrões


Bolsonaro parceiro

Medida é parte de um pacote de flexibilização trabalhista e foi apelidada de "Lei da Escravidão". Bolsonaro, por telefone, já conversou com Orbán e disse que será grande parceiro do ditador a partir deste ano. Para tanto, já extinguiu o Ministério do Trabalho e quer acabar a aposentadoria dos trabalhadores. Continua, após o anúncio.

Protestos

O impacto negativo da "Lei da Escravidão" foi tão grande que milhares de trabalhadores perderam o medo e saíram às ruas para protestar contra Orbán. Os brasileiros vão seguir os húngaros e também sairão às ruas para dizer não às "leis da escravidão do governo Bolsonaro? Espera-se que sim.

Leia também: