Analista elabora Tabela e mostra que salário de professor é muito defasado em relação ao de outros cargos

22/12/2020

Enquanto um docente da Educação Básica e com nível superior chega ao fim da carreira com ganhos em média abaixo de R$ 5 mil, um técnico com ensino médio na Justiça Federal já inicia com mais de 7 mil reais.

Publicidade

Imagem ilustrativa: arquivos Webnode.
Imagem ilustrativa: arquivos Webnode.

Educação | Os salários dos professores da educação básica pública de estados e municípios ainda são muito baixos se comparados aos de outros cargos de mesma escolaridade ou até de nível acadêmico inferior. O economista Ernâni C Camargo, consultado pelo Dever de Classe, elaborou uma Tabela que ilustra bem essa situação. Até servidor de nível fundamental chega a ganhar mais que um docente no Brasil. Veja, após o anúncio.

Tabela mostra desnível

Observe a Tabela abaixo e veja que o piso nacional e a média salarial dos educadores das redes públicas da educação básica de estados e municípios estão nos últimos lugares, se comparados aos ganhos de seus colegas servidores de outros órgãos. No final da carreira, docente ganha menos que funcionário de nível médio e até fundamental. Ver após o anúncio.

Compartilhe e curta mais abaixo nossa página no Facebook para receber atualizações sobre este tema. 

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.