Gasto milionário com biscoito dá para pagar auxílio emergencial de R$ 600 a mais de 83 mil desempregados

26/01/2021

É absurdo por cima de absurdo. Enquanto muitos amargam a falta de trabalho e o fantasma da fome, Bolsonaro & cia esbanjam dinheiro público.

Publicidade

Que biscoitos caros são esses? Foto/Reprodução.
Que biscoitos caros são esses? Foto/Reprodução.

Economia | A exposição das despesas do governo Bolsonaro com compras de supermercado estão escandalizando o Brasil. É absurdo por cima de absurdo. Enquanto muitos amargam a falta de trabalho e o fantasma da fome, Bolsonaro & cia esbanjam dinheiro público. Só o que torraram com biscoitos dava para garantir auxílio emergencial de R$ 600 a mais de 83 mil pessoas. Veja, após o anúncio.

Gastos do governo Bolsonaro com biscoitos em 2020!

R$ 50.149.168,18 (cinquenta milhões, cento e quarenta e nove mil, cento e sessenta e oito e mil e dezoito centavos).

Dinheiro dava para pagar auxílio emergencial de R$ 600 a mais de 83 mil desempregados!

  • Fonte: Painel de Compras do Ministério da Economia

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.
No capitalismo, guerras são negócios, fome é negócio, crianças e idosos são negócios, miséria é negócio, "beleza" e "feiúra" são negócios, violência física e moral são negócios, o corpo é negócio, pessoas são negócio. Tudo é negócio...
"A lei do piso se transformará em mais uma norma sem sentido real". "Decisão se estenderá a todos os entes — estaduais e municipais." Ministro "Xandão" chegou a conclusão inusitada após embarcar em "informações e tese distorcidas prestadas pelo Estado do Pará". Avaliação consta em nota assinada pelo experiente advogado Walmir Brelaz, do Sintepp/Pa....