Após terror em Manaus, venezuelano diz que não quer que seu país vire esse novo Brasil de Bolsonaro

15/01/2021

Sebastian Rosales afirma que tem profunda admiração pelo povo brasileiro e é com muita tristeza que vê seus 'hermanos brasileños' morrerem sufocados na capital do Amazonas por causa de um genocida.

Publicidade

Bolsonaro taca o terror no Brasil. Enquanto isso, o governo venezuelano de Nicolás Maduro manda oxigênio para socorrer vítimas da Covid-19 em Manaus. Foto/Reprodução
Bolsonaro taca o terror no Brasil. Enquanto isso, o governo venezuelano de Nicolás Maduro manda oxigênio para socorrer vítimas da Covid-19 em Manaus. Foto/Reprodução

Política | O professor Venezuelano Sebastian Rosales acompanha as publicações do Dever de Classe em Caracas e enviou um e-mail onde se solidariza com as vítimas da Covid-19 em Manaus e no resto do País. Ele diz que não quer que seu país vire esse novo Brasil de Bolsonaro. Veja, após o anúncio.

O que o diz o nosso amigo venezuelano:

Tengo una profunda admiración por Brasil, su gente, su belleza y riqueza natural y su sólida economía. Por eso es que veo con tristeza a nuestros hermanos brasileños morir asfixiados en Manaus por causa de un genocida. Nuestra Venezuela nunca será este nuevo Brasil de Bolsonaro. Sebastian Rosales, Caracas, 14/01/2021

Tradução livre:

Tenho profunda admiração pelo Brasil, seu povo, suas belezas e riquezas naturais e sua forte economia. Por isso é com tristeza que vejo os nossos irmãos brasileiros morrendo asfixiados em Manaus por causa de um genocida. Nossa Venezuela nunca será esse novo Brasil de Bolsonaro.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.