Professores de todo o Brasil devem seguir o Piauí e também entrar em Greve Geral! 

15/02/2020

COMPARTILHE!

Educação / O momento é propício, pois é início do período letivo. Além disso, governos farão tudo para que reajuste deste ano seja o último baseado no mesmo crescimento do custo aluno.

Publicidade

Imagem criada com o aplicativo Canva.
Imagem criada com o aplicativo Canva.

Os professores da Rede Estadual do Piauí estão em Greve Geral desde o dia 10 deste mês. Pauta principal: reajuste de 12,84% para o magistério. A motivação está alta e mais de 80% das escolas já estão paradas, segundo informe do Sinte-Pi. Professores de todo o Brasil devem fazer o mesmo, por alguns motivos muito importantes, conforme veremos após o anúncio.

Vote na enquete

Motivos

O primeiro motivo é de ordem econômica. Prefeitos e governadores farão tudo em 2020 para mudar a forma de correção do piso para acabar os reajustes pelo mesmo índice de crescimento do custo aluno. Um Comitê de secretários de Fazenda já está cuidando disso, conforme você pode se informar AQUI. Continua, após o anúncio.

Caso esse Comitê consiga êxito em sua proposta, os reajustes do piso passarão a ser apenas pela inflação, ou seja, muito baixos. Em 2019, por exemplo, a inflação foi 4,31%. Desse modo, correção como essa de 12,84% ou até de 22,22% dada no governo Dilma podem acabar. Leia mais sobre isso AQUI.

O segundo motivo é prático. A experiência do movimento sindical mostra que paralisações em início de período letivo têm mais chances de dar certo, pois ainda não há uma rotina mais intensa com os alunos para ser quebrada. Isto motiva as adesões. 

A hora portanto de lutar é agora. O Piauí está no rumo certo e deve ser seguido por todos.

COMPARTILHE!

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.