Piso do magistério já trouxe ganho real de 55,19%! Quem não recebeu pode buscar a Justiça!

01/02/2020

COMPARTILHE!

Educação / O STF reconheceu em 2013 que o piso do magistério é constitucional. A decisão tem efeito erga omnes, isto é, obriga a todos os entes federativos ao cumprimento da Lei.

Publicidade

Imagem: arquivos Webnode
Imagem: arquivos Webnode

Desde que passou a valer em 2009, o piso nacional do magistério já teve um ganho real de 55,19% em relação à taxa inflacionária oficial do governo. A soma dos reajustes de 2010 a 2020 é 117,41%, enquanto a inflação nesse mesmo período foi de 62,85%.

No entanto, como se sabe, muitos prefeitos e governadores não cumpriram as atualizações ou as fizeram apenas de forma parcial. Nestes casos, o educador pode buscar a Justiça para tentar receber os último cinco anos não cumpridos. Continua, após o anúncio.

Evolução

A tabela abaixo mostra que o piso do magistério teve reajustes bem significativos. Em 2011 e 2012, por exemplo, no governo Dilma Rousseff (PT), correções foram de 15,84% e 22,22%, respectivamente. O ganho real somado nesses dois anos foi de 25,66%

O reajuste mais baixo foi dado por Michel Temer antes de deixar a presidência, em 2018: 4,17%.

Justiça

Caso não tenha recebido os reajustes de 2019 a 2015, o educador pode recorrer à Justiça. O percentual somado é superior a 42%. Para tanto, deve buscar o sindicato ou advogado particular.

Vote na enquete!

COMPARTILHE!

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Benefício será depositado na conta de professores e todos os demais servidores da educação ainda neste mês de dezembro. Detalhe do anúncio mostra que não é só do Fundeb que há sobras de recursos, algo que deve ser observado pelo magistério de todo o Brasil.
Medidas visam adequar prefeitura de Teresina à Reforma da previdência criada pelo presidente Jair Bolsonaro, do qual o prefeito José Pessoa (MDB) é forte aliado. Direção do Sindserm-THE chama mobilização para Câmara Municipal, com o intuito de barrar as horrendas iniciativas.
Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...