Covid-19: professoras dizem que nem amarradas voltam às escolas e fazem um apelo aos colegas

26/07/2020

Educadoras afirmam que não estão dispostas a correr o risco de se contaminar e morrer, e pedem que os colegas também fiquem em casa até que se descubra uma vacina. 

COMPARTILHE!

Publicidade

Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Educação | Em e-mail enviado ontem (25) ao Dever de Classe, as professoras Alice Freitas e Sandra Bezerra dizem que não voltam para as escolas nem amarradas enquanto uma vacina para a Covid-19 não estiver pronta. As educadoras apelam aos colegas para que façam a mesma coisa e fiquem em casa. Veja o depoimento, após o anúncio.

O que disseram as professoras

Caros amigos do Dever de Classe, pedimos que publiquem nossa posição a respeito da volta às aulas:

Nós não vamos nem amarradas paras as escolas enquanto uma vacina para a Covid-19 não estiver pronta. Não podemos nos arriscar a contrair o vírus e morrer. Por mais importantes que sejam as aulas presenciais e a normalidade do ano letivo, nossas vidas estão acima disso. Pedimos aos nossos colegas que também fiquem em casa. Uma vacina certamente há de vir. Aguardemos de forma serena, então.

Um abraço a todos.

Alice Freitas e Sandra Bezerra

Após o anúncio, vote nas enquetes e dê também sua opinião sobre a volta às aulas!

Enquete 1

Enquete 2

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Destaque para nomeação de Hitler como chanceler da Alemanha; nascimento de Lewis Carrol, autor de "Alice no País das Maravilhas; nascimento de Mozart; Libertação de Auschwitz, na Polônia; tragédia na boate Kiss e término oficial da Guerra do Vietnam.
Há recursos carimbados do Fundeb — em alta — desde 2021. Complemento da União sobe de 15% para 17%, e veto garante reposição de dinheiro perdido em 2022 por conta da redução na alíquota de ICMS. E ainda tem o Art. 4º da Lei 11.738/2008 a favor dos 14,95%.
Destaque para Independência do Peru, Concílio de Trento, mudança do nome de Petrogrado para São Petesburgo, maior diamante do mundo, nascimento de Angela Davis — filósofa socialista estadunidense, inauguração da General Motors no Brasil.