Quase 80% dos brasileiros querem que escolas continuem fechadas, diz pesquisa nacional do Datafolha

27/06/2020

Resultado já vinha sendo refletido nas redes sociais e em enquetes feitas aqui no Dever de Classe.

COMPARTILHE!

Publicidade

Imagem: aplicativo Canva.
Imagem: aplicativo Canva.

Educação | Pesquisa divulgada hoje (27) pelo Datafolha revela que 76% dos brasileiros querem que escolas continuem fechadas por conta da pandemia de coronavírus. Resultado reflete o que já se via nas redes sociais e em enquetes feitas aqui no Dever de Classe

Segundo a consulta do Datafolha, maioria é contra retomada das aulas presenciais em todas as faixas de renda e regiões. Margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Continua, após o anúncio e sugestão de matérias.

Amplitude

"O Datafolha ouviu 2.016 pessoas de todo o país na terça (23) e na quarta (24) por telefone, modelo que evita o contato pessoal entre pesquisadores e entrevistados e exige questionários mais rápidos", diz matéria da Folha de S.Paulo (27).

Motivos

A Folha diz também que:

"Para especialistas em educação e infectologistas, o pouco apoio para a retomada das aulas presenciais pode ser pelo temor de que os alunos não sigam as regras de distanciamento, devido à infraestrutura das escolas ou por causa dos deslocamentos necessários para chegar às escolas." 

Após o anúncio, vote nas enquetes e dê também sua opinião sobre o tema!

Vote nas enquetes!

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

No caso dos professores, o que vale é o que está na lei dos planos de cargos, salários e carreiras de estados, DF e municípios. Se a legislação diz que o descanso anual é de 45 dias ou até dois meses, o terço constitucional deve ser pago com base nesse tempo de férias. É o que podemos chamar de direito...
Diferenças dos últimos 5 (cinco) anos devem ser pagas com juros e correção monetária, determina o juiz em sua sentença. Valor chega a quase R$ 10 mil. Estado não pode mais recorrer. Professores de todo o País podem fazer a mesma reclamação.