Reforma Administrativa pode ser mudada ou até rejeitada na Câmara pelo relator da medida, diz parlamentar

20/08/2021

Rogério Correia (PT-MG) afirma que pressão dos servidores públicos da Saúde e Educação na Câmara na última quarta-feira (18) trouxe novos elementos que podem alterar profundamente os rumos da PEC 32. 

Publicidade

Rogério Correia (PT-MG) é membro da Comissão Especial que analisa a PEC 32 na Câmara. Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados.
Rogério Correia (PT-MG) é membro da Comissão Especial que analisa a PEC 32 na Câmara. Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados.

Economia | Segundo a Agência Câmara de Notícias (18), o deputado federal Rogério Correia (PT-MG) afirmou que a Reforma Administrativa (PEC 32) pode ser modificada ou até mesmo rejeitada pelo relator da medida, o parlamentar Arthur Oliveira Maia (DEM-BA). Fala de Correia se deu após servidores da Saúde e Educação pedirem em reunião quarta-feira (18) na Câmara o arquivamento da proposta. Continua, após o anúncio.

Novo substitutivo ou até rejeição completa do projeto

Segundo ainda a Agência Câmara de Notícias:

[O deputado Rogério] Correia disse que a reunião [com os servidores] trouxe elementos para que o relator da PEC, deputado Arthur Oliveira Maia (DEM-BA), modifique a proposta ou recomende sua rejeição. "Os salários maiores estão fora da reforma. A reforma vai cortar de quem ganha menos", disse Correia. O texto da PEC não atinge magistrados, militares nem integrantes do Ministério Público e do Poder Legislativo. Maia já anunciou que apresentará um novo substitutivo na próxima semana."

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Facebook, para receber atualizações sobre este tema.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.