O que Jair Bolsonaro tem a ver com a execução de Marielle Franco? Saiba mais e compartilhe...

16/03/2018 10:24

Marielle era mulher. Bolsonaro é misógino. Marielle era negra. Bolsonaro é racista. Marielle era homossexual. Bolsonaro é homofóbico. Marielle era socialista, de esquerda. Bolsonaro é de extrema direita, fascista. E Marielle lutava em defesa dos direitos humanos e contra o extermínio de pobres pela polícia. E Bolsonaro é a favor da tortura e quer dar mais carta branca ainda para a polícia matar. Marielle foi executada por ser uma antítese perfeita de Jair Bolsonaro e dos seguidores de suas (dele) ideias no Rio de Janeiro

Por Landim Neto* | Pode até ser obra do acaso, mas a ascensão das ideias fascistas de Jair Bolsonaro na mídia — sobretudo nas redes sociais — coincide com o crescente assassinato de mulheres em todo o País, inclusive por militares. A violenta e covarde execução de Marielle Franco e de Anderson Gomes é um sinal de que o "bolsonarismo" é muito mais perigoso do que aparenta ser. (Continua após o anúncio).

Sem desconhecer o enorme valor do motorista que acompanhava a ex-vereadora do PSOL na hora da execução, é a importância política de Marielle que pretendemos neste momento destacar, em oposição às teses "bolsonaristas" que estão por trás do assassinato da militante socialista.

Marielle era mulher. Bolsonaro é misógino. Marielle era negra. Bolsonaro é racista. Marielle era homossexual. Bolsonaro é homofóbico. Marielle era socialista, de esquerda. Bolsonaro é de extrema direita, fascista. E Marielle lutava em defesa dos direitos humanos e contra o extermínio de pobres pela polícia. E Bolsonaro é a favor da tortura e quer dar mais carta branca ainda para a polícia matar. 

Não dizemos aqui, com isso, que o Jair é o mandante da execução de Marielle. Não, isto seria só uma calúnia. Mas foram os atributos políticos de Marielle que a levaram à morte pelo "bolsonarismo". Marielle foi executada por ser uma antítese perfeita de Jair Bolsonaro e dos seguidores de suas (dele) ideias no Rio de Janeiro. (Continua após o anúncio).

Deixamos aqui, por fim, nossa solidariedade aos familiares e amigos de Marielle e Anderson, e em particular aos militantes do PSOL e aos socialistas de todo o planeta, muito chocados com o ocorrido. O episódio, certamente, deverá servir não para intimidar os lutadores, mas sim para armá-los politicamente ainda mais contra a crescente ameaça fascista que ronda nosso País, cujo maior agente na atual conjuntura é Jair Bolsonaro.

*Landim Neto é editor do Dever de Classe

LEIA TAMBÉM