"Bolsonaro esticou demais a corda; agora a coisa está muito feia para ele", diz jurista

18/01/2021

"O presidente usa o posto mais elevado do País para induzir as pessoas à morte e para mentir descaradamente. Motivos para impeachment existem aos montes."

Publicidade

O 'mito' pode está perto de cair. Foto: Agência Brasil.
O 'mito' pode está perto de cair. Foto: Agência Brasil.

Política | O presidente Jair Bolsonaro pode ser desapeado do poder bem antes do que imagina. O modo totalmente criminoso que usa para governar é motivo robusto para impeachment ainda neste 2021. 

Segundo o jurista Carlos N Nascimento, consultado pelo Dever de Classe, "Bolsonaro esticou demais a corda; agora a coisa está muito feia para ele. Motivos para afastamento existem aos montes." Veja, após o anúncio.

Por que o senhor acha que o presidente Bolsonaro pode cair?

Ele esticou a corda demais; agora a coisa está muito feia para ele. Motivos para impeachment existem aos montes.

Poderia dar um exemplo?

Existem dezenas, centenas. Mas os mais emblemáticos e graves dizem respeito ao modo criminoso como ele governa. No caso da Covid-19, por exemplo, ele usou o posto mais elevado do País para induzir milhares à morte. Ele é responsável direto por todos os óbitos no Brasil e pelo caos em Manaus. Não tem como continuar na presidência um genocida. O impeachment bateu à sua porta. Dificilmente ele conseguirá se livrar.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

1932. O mafioso Al Capone começa, em Atlanta, a cumprir uma sentença de onze anos de prisão por sonegação de impostos.

1979. Margaret Thatcher vence as eleições gerais do Reino Unido e torna-se a primeira mulher a ser primeira-ministra britânica.

No entendimento de José Professor Pachêco e Renato Coelho de Farias, a correção do piso deve ser pelo custo aluno executado, e não pelo custo aluno estimado. Deste modo, índice de 2024 é 4,70%, e não 3,62%. Nesta linha, valor nominal deste ano é R$ 4.633,44, em vez de R$ 4.580,57. Foi o que divulgamos aqui em matéria do Dever...