Grande mídia é quem propaga as piores fake news

11/01/2021 20:08

Bem ao contrário das grosseiras notícias falsas que Jair Bolsonaro e seus seguidores espalham diariamente nas redes sociais, as fake news da grande imprensa vêm embaladas numa linguagem refinada para tentar confundir a maioria da população, embora sejam tão cabeludas quanto as lorotas do presidente.

Publicidade

Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Política | Bem ao contrário das grosseiras notícias falsas que Jair Bolsonaro e seus seguidores espalham diariamente nas redes sociais, as fake news da grande imprensa vêm embaladas numa linguagem refinada e com dados cuidadosamente manipulados para tentar confundir a maioria da população, embora sejam tão cabeludas quanto as lorotas do presidente. Quase sempre tratam sobre um tema de interesse social, econômico ou politico. Após o anúncio, veja 5 exemplos de mentiras divulgadas por O Globo, Folha, Estadão & cia sobre:

  1. Reforma da previdência
  2. Piso nacional do professor
  3. Reforma Trabalhista
  4. Reforma administrativa e estabilidade do servidor público
  5. Governos do PT.

As mentiras que parecem verdades que a grande mídia divulga diariamente

Fake news nº 1 - Manchete do jornal O Globo, 14/02/2019 - 13:00 / Atualizado em 23/04/2019 - 07:14

"Entenda por que a reforma da Previdência é importante"

"Sem mudanças na aposentadoria, país não terá recursos para saúde e educação, e crescimento econômico ficará comprometido"

Além de O Globo, este tipo de propaganda da Reforma da Previdência — apresentada como se fosse uma matéria imparcial — pode ser encontrada também no SBT, Record, Folha, Estadão, Veja e seus congêneres Brasil afora. A ideia explícita era convencer o leitor de que a reforma era necessária para melhorar educação, saúde e crescimento econômico, tal como está explícito no subtítulo da manchete. Passada a reforma, veio o oposto. Professores terão mais tempo em sala de aula e com remuneração menor; hospitais públicos continuam um caos e o próprio presidente Bolsonaro disse que o Brasil está quebrado. Matéria é fake news das grandes, portanto. Link para O Globo. Após o anúncio, fake news da Folha de S.Paulo sobre o piso nacional do magistério.

Fake news nº 2 - Manchete da Folha de S.Paulo, 23.jan.2020 às 2h00 - Atualizado: 23.jan.2020 às 19h57

Piso de R$ 2.886 do professor [em 2020] desafia estados e municípios

Para entidades que representam secretarias de Educação, medida trará problemas.

O objetivo-alvo explícito na manchete e subtítulo é colocar o piso nacional do magistério — criado no governo Lula — como um problema para o País. Por isso dão destaque logo na entrada às versões manipuladas ou sem provas dos gestores de estados e municípios que não querem cumprir o reajuste anual do professor, que em 2020 foi de 12,84%. Basta clicar na tabela com dados do Banco do Brasil sobre o dinheiro do Fundeb, para se perceber que matérias desse tipo, embora pareçam sérias, são repletas de fake news do início ao fim. Link da Folha. Após o anúncio, veja fake news da Record TVR7 — sobre a Reforma Trabalhista.

Fake news nº 3 - Vídeo do Jornal da Record - 27/04/2017 - 23h00 (Atualizado em 06/10/2018 - 19h17)

"A Reforma Trabalhista é boa"

O vídeo abaixo é montado de maneira sutil para apresentar a Reforma Trabalhista como uma maravilha para os trabalhadores. Para começar, não há um só entrevistado contra a medida ou uma mínima crítica dos apresentadores ao projeto. Um jovem pego no meio da rua, no entanto, é induzido a dizer que com a reforma "tudo ficará mais tranquilo em termos de benefícios e horários", exatamente o oposto do que ocorreu. Nessa mesma linha, um diretor da Confederação Nacional da Indústria (CNI) diz que a reforma moderniza as relação de trabalho e é boa para patrões e empregados. E no final, um "especialista" afirma que a medida traria mais empregos", embora, segundo o IBGE, o desemprego tenha aumentado após a aprovação do projeto. Ou seja, o vídeo é só fake news para favorecer os patrões. Assista:

Após o anúncio, veja fake news sobre a Reforma Administrativa e a estabilidade do servidor público.

Fake news nº 4 - Manchete G1 - Globo, 08/10/2020 18h58

Frente parlamentar propõe incluir atuais servidores na reforma administrativa

Proposta enviada pelo governo vale apenas para futuros servidores.

O título da matéria sugere que os atuais servidores estão fora da Reforma Administrativa proposta pelo governo Bolsonaro. E o subtítulo diz isto de maneira mais explícita. Fake news. Os atuais funcionários públicos dos três poderes da União, estados e municípios também serão prejudicados caso a medida passe no Congresso Nacional, pois perderão estabilidade e direitos adquiridos, conforme se pode ver AQUI. Apenas os chamados "membros de poderes", como magistrados e parlamentares estão fora do projeto. Após o anúncio, veja fake news sobre os governos do PT.

Fake news nº 5 - Vídeo do reacionário Augusto Nunes, revista Veja, atualizado em 10 dez 2018, 16h00 - Publicado em 30 abr 2015, 10h56

"Lula e Dilma quebraram o Brasil"

O vídeo abaixo é de apenas um minuto e reproduz uma das maiores fake news de todos os tempos. A partir de um fato isolado, o reacionário Augusto Nunes, da não menos reacionária revista Veja, conclui que "Lula e Dilma quebraram o Brasil. Essa conclusão é também da Globo, Folha, Estadão & cia. 

Todos os dados divulgados por economistas sérios do Brasil e do mundo, no entanto, provam justamente o contrário. Na era PT, apesar dos boicotes e aves de mau agouro como esse próprio Augusto Nunes, o salário mínimo cresceu de forma real, a riqueza foi melhor distribuída, milhões saíram da miséria, muitos programas sociais foram criados e um longo etcétera de fatos positivos. Verdade mesmo é que após Dilma Rousseff ser derrubada por um golpe em 2016, o Brasil anda para trás. Tape o nariz e veja a fake news.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...