Em um único mês, governo Bolsonaro gastou mais de R$ 5,7 milhões apenas com propaganda no MEC

31/01/2021

Despesas com publicidade no Ministério da Educação cresceram de 2019 para 2020, mesmo sem aulas presenciais e em plena pandemia. Elevação contraria discurso de que não é mais possível pagar o auxílio emergencial.

Publicidade

Bolsonaro e ministro Paulo Guedes só não têm dinheiro para atender aos interesses do povo. Foto: Agência Brasil.
Bolsonaro e ministro Paulo Guedes só não têm dinheiro para atender aos interesses do povo. Foto: Agência Brasil.

Educação | Não é só com leite condensado, bombom, chiclete, vinho e toneladas de sal que o presidente Jair Bolsonaro e seu ministro da Economia Paulo Guedes gostam de torrar o dinheiro público. 

Levantamento feito nos gastos com publicidade apenas no Ministério da Educação (MEC) em 2019 e 2020 mostra que uma boa grana do povo está sendo gasta também com propaganda oficial. 

Em apenas um mês, foram gastos mais de R$ 5,7 milhões com publicidade no Ministério da Educação, mesmo com universidades e escolas da educação básica fechadas por conta da pandemia de Covid-19. 

Detalhe: boa parte das empresas prestadoras de serviço e beneficiadas com propaganda no MEC são totalmente desconhecidas do grande público.  Veja tabelas, após o anúncio.

Continua, após o anúncio..

Empresas desconhecidas

Muitas das empresas que prestaram serviços publicitários para o MEC e receberam pagamento do governo Bolsonaro são desconhecidas do grande público nacional. Exemplos que constam nos fornecedores do mês de dezembro de 2020:

  • ARTE LUX PRODUCOES CINEMATOGRAFICAS LTDA
  • E.P.B PAIVA 
  • ESCALA COMUNICACAO & MARKETING LTDA 
  • LOGICO AUDIO COMUNICACAO LTDA MOOD 
  • MOVIE PRODUCOES E COMUNICACAO EIRELI 
  • REDUTO DIGITAL LTDA 
  • SOLO PRODUCOES LTDA - ME 
  • VAPT FILMES PRODUÇÕES EIRELI

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre educação...

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.
"A lei do piso se transformará em mais uma norma sem sentido real". "Decisão se estenderá a todos os entes — estaduais e municipais." Ministro "Xandão" chegou a conclusão inusitada após embarcar em "informações e tese distorcidas prestadas pelo Estado do Pará". Avaliação consta em nota assinada pelo experiente advogado Walmir Brelaz, do Sintepp/Pa....
Em apenas um caso de malversação escabrosa de dinheiro da educação pública, "a Controladoria-Geral da União pescou um edital para a compra de dez milhões de mesas e cadeiras escolares com um sobrepreço que poderia chegar a R$ 1,59 bilhão. O total da fatura chegaria a R$ 6,3 bilhões", revela o experiente jornalista Elio Gaspari, em matéria na Folha...