Coluna do Globo ensina como se fecha agências do BB e se demite servidor sem o povo saber

16/01/2021

O grupo Globo e os Marinhos sempre foram contra o serviço público e sobrevivem dos anúncios de grandes corporações econômicas, em particular de bancos privados.

Publicidade

Bolsonaro-Guedes, a dupla privatista que aterroriza o País. Foto: Agência Brasil
Bolsonaro-Guedes, a dupla privatista que aterroriza o País. Foto: Agência Brasil

Economia | Em sua coluna no Globo (16), Lauro Jardim escalou um ex-presidente do Banco do Brasil para ensinar como se fecha agencias e, consequentemente, se demite servidor sem alarde e sem o povo perceber. 

O grupo Globo e os Marinhos sempre foram contra o serviço público e sobrevivem dos anúncios de grandes corporações econômicas, em particular de bancos privados. Por isso usam sempre os seus espaços a favor de privatização, seja em que governo for. Veja, após o anúncio.

O que diz a coluna de Lauro Jardim

(...)

A declaração anônima de um ex-presidente do BB escalado pelo Globo para ensinar como se engana o povo:

 "— Fechamento de agências é sempre um problema político para banco público. O prefeito da cidade se sente como tendo recebido um atestado de desprestígio e mobiliza toda a força política do estado em reação. O melhor é fazer o ajuste à nova realidade de digitalização e distanciamento banco-cliente em caráter permanente, no dia a dia, sem alardear um programa específico."

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.
No capitalismo, guerras são negócios, fome é negócio, crianças e idosos são negócios, miséria é negócio, "beleza" e "feiúra" são negócios, violência física e moral são negócios, o corpo é negócio, pessoas são negócio. Tudo é negócio...
"A lei do piso se transformará em mais uma norma sem sentido real". "Decisão se estenderá a todos os entes — estaduais e municipais." Ministro "Xandão" chegou a conclusão inusitada após embarcar em "informações e tese distorcidas prestadas pelo Estado do Pará". Avaliação consta em nota assinada pelo experiente advogado Walmir Brelaz, do Sintepp/Pa....