Com mais de meio milhão de casos e 30 mil mortes, não é hora de afrouxar quarentena

02/06/2020

É um suicídio o que muitos estados começam a fazer.

COMPARTILHE!

Publicidade

Por enquanto, o mais sensato continua a ser ficar em casa, para melhor proteção contra o vírus. Foto: aplicativo Canva.
Por enquanto, o mais sensato continua a ser ficar em casa, para melhor proteção contra o vírus. Foto: aplicativo Canva.

Saúde | Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil já tem mais de meio milhão de casos de infectados por Covid-19. O número de mortos pela doença ultrapassou a casa dos 30 mil. 

Como que alheios a esses dados, vários estados e cidades do País anunciam um afrouxamento das regras de isolamento social. Isto, de acordo com autoridades médicas, pode levar a mais casos, internações, óbitos e um colapso no sistema de Saúde brasileiro. Continua, após o anúncio.

Suicídio

Editorial do Globo desta segunda-feira (2) destaca que vários estados deram inicio à flexibilização das regras de isolamento social, dentre os quais Amazonas, Pará, Maranhão, Ceará, Pernambuco, Goiás, Espírito Santo. "São Paulo e Rio de Janeiro, que concentram o maior número de mortes pelo novo coronavírus no país, também ensaiam uma volta à nova normalidade." 

Isto é um suicídio, pois em muitos desses lugares, a taxa de transmissão por Covid-19 continua muito alta. Continua, após o anúncio.

Especialistas contra

Praticamente não há um só especialista sério da área médica no País que defenda flexibilização do isolamento social agora. Em entrevista ao Repórter Diário TV, João Eduardo Charles, presidente da Associação Paulista de Medicina (APM), diz:

 "Do ponto de vista médico/científico a decisão é clara. Uma doença que se prolifera tão rapidamente como o coronavírus, merece atenção e o esforço para que as pessoas fiquem em casa."

Na mesma linha, o biólogo Bruno S Silva, consultado pelo Dever de Classe, é também contrário a que se afrouxe as regras do isolamento social: (Ver após o anúncio).

"O vírus já provou que é altamente contagioso e mortal. Ora, se os casos estão é aumentando no País, por que motivos flexibilizar o isolamento social de forma precoce? É preciso esperar mais um pouco."

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.