Bolsonaro manda professores e alunos para o corredor da morte, diz biólogo

17/04/2020

Educação / O presidente se excedeu ao chamar volta às aulas. Milhares de docentes têm doenças preexistentes e se tornam presas fáceis do coronavírus nas escolas.

COMPARTILHE!

Publicidade

Capitão prega retorno imediato às aulas. Foto: Isac Nóbrega/PR/Agência Brasil
Capitão prega retorno imediato às aulas. Foto: Isac Nóbrega/PR/Agência Brasil

O biólogo Cézar N Martins, consultado pelo Dever de Classe, diz que Jair Bolsonaro quer levar professores e alunos ao "corredor da morte". Crítica se refere ao fato do presidente ter pregado volta às aulas em todo o País e chamado de 'covarde' quem tem medo de se expor. Fala do capitão foi amplamente divulgada pela mídia nacional. 

Martins adverte que milhares de docentes têm doenças preexistentes e se tornam presas fáceis do coronavírus nas escolas. Após o anúncio, o biólogo fala um pouco mais sobre os enormes perigos do retorno às aulas neste momento e explica por que isto equivaleria a um "corredor da morte".

Leia também:

  1. Descompasso no governo pode levar a cancelamento do ano letivo, diz analista
  2. Jurista diz que quarentena não desobriga reajuste (12,84%) do magistério
  3. Voltar às aulas antes do segundo semestre é muito perigoso, diz professor

As opiniões do biólogo:

Por que comparar retorno às aulas a um corredor da morte?

Vocês sabem o que é um corredor da morte? Nos EUA, quando um preso é condenado, vai para um espaço composto por celas e outros compartimentos. Lá, espera o dia final. Voltar às escolas e salas de aula agora seria ir para uma espécie de espaço assim, com possibilidade real de se contaminar e morrer. A diferença é que no corredor da morte às vezes a espera pode significar meses e até anos. Nos espaços fechados das salas salas de aula e escolas, na conjuntura atual, a contaminação e a morte podem vir bem mais cedo. Continua, após o anúncio.

Então o conselho do presidente Bolsonaro não deve ser seguido?

Claro que não, a não ser para quem queira brincar com a morte. Centenas de milhares de professores têm doenças preexistentes e são presas fáceis para o coronavírus dentro das escolas, espaços naturais de aglomeração. E o vírus, ao contrário do que o presidente falou, pega também em crianças e adolescentes e os mata do mesmo jeito.

E se o presidente conseguir impor sua autoridade maior com o apoio do novo ministro da Saúde?

Quando se trata de preservar a própria vida, não se deve obedecer autoridade maior nenhuma. Se for o caso, recorre-se à Justiça. E aliás, esse novo ministro é mais um motivo para que escolas fiquem fechadas, uma vez que, pela declaração que circula em vídeo por aí, ele não é muito simpático à vida dos mais velhos. Já pensou um jovem aluno e um professor contaminados! Ele certamente diria que era preciso deixar o professor morrer.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.