Psicólogo estuda comportamento de bolsominions e chega a gravíssimas conclusões! Leia e compartilhe...

14/12/2017

"Muitos não conseguem sequer estabelecer diferenças entre pontos antagônicos, como um sim e um não, por exemplo. É caso gravíssimo e de internação"

Palavras-chaveideologia, bolsonaropolítica | Um psicólogo paulista pesquisa desde 2015 o comportamento dos chamados 'bolsominions' nas ruas e redes sociais. O estudo, do ponto de vista patológico, traz resultados preocupantes, diz o pesquisador. "Eles confundem até capitalismo com comunismo, o que nos leva a concluir que perderam (ou nunca tiveram) a capacidade sequer para estabelecer diferenças entre pontos antagônicos, como um sim e um não, por exemplo", afirma o estudioso. O moço prefere não se identificar, por receio de retaliações, vez que diz saber que os seus estudados são também muito violentos.

Leia também:

As onze principais características do pobre de direita! 

Aliás, sobre violência, o psicólogo afirma que o comportamento odioso e irado de muitos 'bolsominions' deve-se à profunda ignorância e demência precoce de que padecem. A maioria, diz, é teleguiada por fake news e lideranças evangélicas esquisitonas, como a futura ministra Damares Alves, aquela que disse ter visto Jesus Cristo num pé de goiaba. "Por não terem a capacidade de compreender a realidade e argumentar logicamente, partem para a agressão, inclusive física", afirma.

Para o pesquisador, é inaceitável que em pleno Século XXI haja quem ainda confunda capitalismo com comunismo, algo tão oposto. "E o mais grave é que a maioria dos 'bolsominions' é de classe média, isto é, gente "estudada", que já deve (ou deveria) ter lido em algum manual de História do Ensino Fundamental que comunismo não rima com controle privado dos meios de produção, que é o que Lula manteve no Brasil", diz."De tão perturbados, eles creem que, além do PT, até grandes empresários são comunistas". "É caso gravíssimo e de internação", conclui. 

O estudioso quer apresentar seu trabalho até o segundo semestre de 2019.  

Leia também:

DA REDAÇÃO | Quem fala mal da ditadura militar ocorrida de 1964 a 1985 no Brasil é porque só sabe ver as coisas por um lado. Esse período não é o inferno pintado nas redes sociais por comunistas e mortadelas. Não. A ditadura militar foi muito boa, sim.