Com Fundeb só em 2022, escolas públicas não abrirão em 2021, diz relatora da PEC 015/15

20/07/2020

COMPARTILHE!

Deputada Professora Dorinha diz que proposta do governo Bolsonaro levará a um apagão na educação pública.

Publicidade

Deputada Professora Dorinha. Foto: Gilmar Felix / Câmara dos Deputados.
Deputada Professora Dorinha. Foto: Gilmar Felix / Câmara dos Deputados.

Educação | A deputada Professora Dorinha (DEM-TO) faz um importante e sério alerta sobre a proposta do governo Bolsonaro de adiar o novo Fundeb para 2022. A parlamentar é a relatora da PEC 015/2015, que torna o Fundeb permanente. Ela diz que caso esse fundo seja adiado como quer o governo, haverá um apagão na educação pública e as escolas não funcionarão em 2021. Veja, após o anúncio.

Alerta da relatora

Extraído de matéria da Folha de S.Paulo (18):

[Adiar] "significaria um ano de 2021 sem Fundeb. Com a proposta de entrar em vigor só em 2022, vamos ter um apagão na educação pública, porque o Fundeb responde por 63% do financiamento da educação básica. Então a gente vai dizer que, em virtude da dificuldade financeira, da pandemia, nós vamos fechar as escolas. Vocês fiquem em casa, já ficaram 2020, fica mais 2021." 

O caso, como se percebe, é preocupante. Educadores devem ficar atentos. Esta semana será decisiva para os destinos do Fundeb e, consequentemente, para o funcionamento das escolas públicas e salários dos profissionais do magistério. Aguarde mais informações, a qualquer momento.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.
Ao todo, percentual de corte chega a 96% para 2023, o que é um enorme prejuízo para as crianças e profissionais que atuam na área. Educação de Jovens e Adultos (EJA) também foi tesourada em 56% de suas verbas. Um massacre em toda a Educação Básica