Sem assinatura de nenhum médico, general libera cloroquina para todas as fases da Covid-19

20/05/2020

Medida atenta contra a saúde pública, vez que o medicamento não tem eficácia comprovada no tratamento da doença e já matou muitos infectados pelo vírus.

COMPARTILHE!

Publicidade

General Eduardo Pazuello — ministro da Saúde — liberou geral o uso da cloroquina. Foto: Wikipédia/Reprodução.
General Eduardo Pazuello — ministro da Saúde — liberou geral o uso da cloroquina. Foto: Wikipédia/Reprodução.

Saúde | O general Eduardo Pazuello — ministro da Saúde do governo Bolsonaro — fez o que os médicos e ex-ministros Luiz Mandetta e Nelson Teich não tiveram coragem de fazer quando estiveram à frente do MS

Nesta quarta-feira (20), o general ministro editou o novo protocolo para tratamento de pacientes com Covid-19, autorizando o uso da cloroquina e hidroxicloroquina em todas as fases da doença e não mais apenas nos casos graves, como era até então. Ou seja, é o "liberou geral" dos produtos".

Documento, conforme destaca O Globo (20), não teve assinatura de nenhum técnico ou médico colaborador. Por quê será? Continua, após o anúncio.

Atentado

Medida atenta contra a saúde pública, vez que a cloroquina não tem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19 e já matou muitos infectados pelo vírus. Por isso mesmo é que nenhum médico quis assinar o tal protocolo, para não se comprometer — inclusive judicialmente — com mais possíveis mortes daqui para frente. Continua, após o anúncio.

Mais mortes à vista

Segundo opiniões de especialistas da área médica, a cloroquina pode provocar uma série de reações adversas nos pacientes com coronavírus, principalmente quando usada nos casos leves e em casa, como quer o governo Bolsonaro através do novo protocolo editado pelo general Pazuello

Uma dessas reações é parada cardíaca e morte, conforme alertou o próprio ex-ministro Luiz Mandetta. Muitos infectados por coronavírus foram a óbito por causa da droga liberada agora pelo capitão e seu ministro general.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.