Carreira Nacional do Magistério deve sair do papel

27/12/2021
Projeto unifica carreiras e possibilita melhores ganhos salariais aos educadores. Imagem: aplicativo Canva.
Projeto unifica carreiras e possibilita melhores ganhos salariais aos educadores. Imagem: aplicativo Canva.

Lívia T Costa, pedagoga, Especialista em Educação 

+ artigos desta autora

Educação | Dentre os inúmeros problemas que fazem parte do cotidiano da educação básica pública brasileira estão a enorme quantidade de carreiras e quadros salariais que existem. São 5.568 municípios e, em todos eles, uma situação diferente. Isto sem falar nas redes estaduais.

Tal configuração cria sérias distorções para os servidores que atuam na área, seja docente ou pessoal técnico-administrativo e de apoio. Embora desempenhem funções equivalentes em relação aos mesmos pares, professores e demais têm salários e carreiras diferenciadas.  Continua, após o anúncio.

Um jeito simples de acabar com isso seria aprovar a Carreira Nacional do Magistério (CNM). Projeto já tramitou no Senado e passou na Comissão de Educação da Câmara.

Medida unifica carreiras e salários e tem como parâmetro o Plano de Carreira de Magistério do Ensino Básico adotado pelo Colégio Pedro II, do Estado do Rio de Janeiro, cuja gestão é de responsabilidade do governo federal. Remuneração é bem maior do que a paga hoje em qualquer Estado ou município.

Eleito, Lula deve tirar esse projeto do papel. Pelo menos, é o que se espera.



Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. Aproveite para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

PIX - Celular 86988453625 João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Professora Dorinha é presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e diz que não há lacuna para que o percentual de 33,23% não seja cumprido urgentemente, tal como reza a lei 11.738/2008. O Dever de Classe entrou em contato com a assessoria da parlamentar e obteve mais informações sobre as ações que poderão ser feitas.
Educadora diz que "é uma tristeza ver uma professora usar o nome de Deus para defender um presidente satânico e que "se não houver paralisação nacional e luta não haverá aumento de salário nenhum".