Novo PNE pode melhorar a Educação brasileira

01/07/2024

Projeto foi construído por meio de debates com a sociedade, destaca a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação — CNTE

Compartilhe!

Com pressa? Resumimos para você! Clique...

Texto aborda aspectos do novo Plano Nacional de Educação (2024-2034), assinado e enviado ao Congresso pelo presidente Lula, no último dia 26 de maio. Dentre os pontos destacados do projeto, os 18 objetivos da medida e as 58 metas a serem alcançadas nos próximos dez anos. Mais abaixo, a matéria completa.

PIX Caixa: 

pix@deverdeclasse.org

PIX Vakinha:

3435969@vakinha.com.br

Sua contribuição é crucial para cobrirmos os custos mensais da página e mantê-la atualizada. Obrigado.

No último dia 26 de maio, o presidente Lula (PT) assinou e enviou ao Congresso o novo Plano Nacional de Educação (PNE) — 2024-2034. "A cerimônia aconteceu no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), com a presença do ministro da Educação, Camilo Santana, do presidente da CNTE, Heleno Araújo, e de outras autoridades."

Melhorias

O Projeto foi elaborado pelo Ministério da Educação, a partir de contribuições de um grupo de trabalho (GT) e discussões com a sociedade. Método de elaboração, por si só, indica que novo plano, se aplicado, pode trazer melhorias para a Educação brasileira, em particular para o setor público.

Objetivos

"O texto prevê 18 objetivos, compreendidos nas temáticas de educação infantil, alfabetização, ensino fundamental e médio, educação integral, diversidade e inclusão, educação profissional e tecnológica, educação superior, estrutura e funcionamento da educação básica."

"Para cada objetivo, foram estabelecidas metas que os quantificam e permitem seu monitoramento ao longo do decênio. A proposta contém 58 metas, que são comparáveis com os 56 indicadores do plano vigente. Para cada meta, há um conjunto de estratégias que expressam as principais políticas, programas e ações envolvendo a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios, para o alcance dos objetivos propostos."

Com informações de: CNTE, Agência Câmara de Notícias e Agência Brasil

Anúncio

Apoie o Dever de Classe!

Compartilhe!

Tópicos relacionados:


Mais acessadas:

Projeto aprovado na Câmara é praticamente o mesmo criado no governo do golpista Michel Temer e só atende a interesses de privatistas. Estudantes terão de conviver com o monstrengo dos itinerários (de)formativos, e docentes terão sobrecarga de trabalho.