Bolsonaro sabia do cheque de R$ 24 mil dado a sua esposa? Leia e compartilhe...

07/12/2018 13:53

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) participa de culto na Igreja Batista Atitude ao lado da esposa, Michelle Bolsonaro, no Rio de Janeiro / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) participa de culto na Igreja Batista Atitude ao lado da esposa, Michelle Bolsonaro, no Rio de Janeiro / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Deputado Paulo Pimenta (RS) ingressou na Procuradoria Geral da República com representação criminal pedindo investigação do caso, que também envolve o filho do capitão

Política | O misterioso cheque de R$ 24 mil dado por ex-assessor de Flávio Bolsonaro a dona Michelle Bolsonaro deixou muita gente intrigada. A transação — considerada suspeita pelo COAF e pelo desdobramento da lava-jato no Rio de Janeiro — trouxe muitas dúvidas quanto à tão alardeada honestidade do capitão e sua família. Jair Bolsonaro tinha conhecimento desse cheque? Se tinha, por que não esclarece de vez essa questão? Se não tinha, como pode numa família tradicional, de "bem" e conservadora uma esposa ter segredos para com o marido? É tudo muito estranho.

Representação criminal

Segundo matéria do Estadão (6), "o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), ingressou na procuradoria-geral da República com representação criminal pedindo para que seja instaurado procedimento de investigação para apurar "possíveis ilícitos criminais e administrativos" envolvendo o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e a futura primeira-dama da República, Michelle Bolsonaro."

Ainda de acordo com o Estadão, "o pedido tem como base reportagem do próprio Estadão que revelou a existência de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que classifica como 'suspeitas' movimentações financeiras do policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz. O PM foi motorista de Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, ambos do PSL, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e o mesmo mês de 2017." Continua, após o anúncio.


Cadê o Sérgio Moro?

Diante dos fatos, muitos se perguntam se Sérgio Moro vai influenciar para que a lava-jato investigue e puna possíveis culpados nessa transação nebulosa, em particular o filho e a esposa do capitão. Mas muitos creem que bastará um pedido de desculpas e tudo será empurrado para debaixo do tapete. Vamos aguardar.

Leia também: