"É absurdo voltar às aulas porque uma mãe diz que sua filhinha de 6 anos está com ansiedade"

14/01/2021

Pedagoga especialista em educação infantil critica manifestação que ocorrerá sábado e diz que não é correto defender volta às escolas na pandemia por conta de questões isoladas.

Publicidade

Sem vacina, lugar mais seguro para as crianças é dentro de casa. Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Sem vacina, lugar mais seguro para as crianças é dentro de casa. Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Educação | A pedagoga e especialista em educação infantil Célia A Aragão critica o ato que ocorrerá dia 16 próximo, sábado, a favor da reabertura das escolas em todo o Brasil. A educadora afirma que não é correto fazer manifestação nacional apenas porque uma mãe diz que sua filhinha de 6 anos está com ansiedade em virtude do isolamento provocado pela pandemia. (Ao final da matéria, veja breve conversa que tivemos com ela).

O protesto já tem adesão de pelo menos 27 cidades, incluindo várias capitais, segundo matéria da Folha de S.Paulo (13). Leia AQUI

A mobilização é articulada pela gerente comercial Sheila Freire, mãe da garotinha e líder do movimento de pais de Minas Gerais

Após o anúncio, veja as sérias e esclarecedoras críticas que a especialista em Educação Infantil Célia Aragão faz a tal iniciativa.

Professora, por que a senhora diz que essa manifestação pela reabertura das escolas é um erro?

Em primeiro lugar, porque ainda estamos em plena pandemia, com novo pico da doença em todo o País e com mais casos de mortes, contaminações e internações. Isto, por si só, já deveria ser o suficiente para que tais atos não fossem marcados. Segundo, é a motivação inicial do protesto: de acordo com matéria da Folha de S.Paulo [13], a líder do movimento articulou a ideia porque sua filhinha de 6 anos está com ansiedade e sem vontade de comer. Lamentamos pela garotinha e sua mãe. Mas isto não é motivo para defender volta às aulas agora.

Por quê? (Ver resposta após o anúncio).

Ora, se a menininha está com ansiedade e sem vontade de comer, há outras saídas bem mais fáceis para solucionar o problema. Pode dar mais atenção a ela, desenvolver atividades lúdicas dentro de casa, mudar o cardápio e, se necessário, buscar ajuda médica. Essa é a saída racional. Defender que ela volte agora a uma escola é colocá-la sob risco de contaminação, o que seria bem pior que o mal estar que o isolamento traz.

Mas a mãe diz que a questão é generalizada...

Ela diz isso a partir do ciclo com o qual convive, portanto não pode ser tomado como regra. Mas supondo que seja verdade e que todas as crianças do Brasil estejam com o mesmo problema da filha da líder do movimento: por causa disso vamos defender então que todas elas voltem às escolas para se expor à Covid-19? Não tem cabimento. Um absurdo. É criar uma situação bem pior.

Mais alguma coisa?

Desejo que a garotinha fique bem e que sua mãe tenha um pouco mais de paciência. A vacina chegará. Antes dela, o lugar mais seguro para as crianças é dentro de casa. Obrigada pelo espaço.

Curta abaixo nossa página no Facebook e receba em breve mais detalhes sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre educação...

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.
"Raspa Tacho 3" é resultado de recursos previstos e não gastos do fundo em 2021. Valor é proporcional à jornada de trabalho e deve ser pago até o final deste mês. Abono desse tipo pode ser pago em todos os estados e municípios do País, tal como muitos gestores já começaram a anunciar e fazer. O Dever de Classe...