Consultora da CNM fala em impasse sobre novo Fundeb e o pagamento de professores

26/09/2021

Mariza Abreu é Especialista em Educação e assessora a Confederação Nacional de Municípios, órgão ligado a prefeitos empenhado em reduzir os reajustes do Piso Nacional do Magistério.

Publicidade

Professora Mariza Abreu bem que poderia usar seus ótimos conhecimentos em Educação para assessorar os profissionais do magistério, e não para ajudar prefeitos inimigos dos trabalhadores do setor educacional. Foto: Pedro França/Agência Senado.
Professora Mariza Abreu bem que poderia usar seus ótimos conhecimentos em Educação para assessorar os profissionais do magistério, e não para ajudar prefeitos inimigos dos trabalhadores do setor educacional. Foto: Pedro França/Agência Senado.

Educação | Em live (23) patrocinada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), a professora Mariza Abreu falou sobre impasse na atualização da lei do novo Fundeb e dificuldades para o pagamento de professores. Ver vídeo ao final da matéria.

Mariza Abreu é especialista em Educação e assessora a CNM, entidade empenhada em reduzir os reajustes do Piso Nacional do Magistério, conforme se vê AQUIAQUI e AQUI. Participou também da referida live Ricardo Martins, consultor da Câmara dos Deputados. Continua, após o anúncio.

Segundo matéria no site da CNM (23):

Dificuldades e preocupações
A especialista em educação
[Mariza Abreu] enfatizou as dificuldades e as preocupações dos gestores municipais. "É preciso atualizar a Lei do Fundeb até 31 de outubro deste ano, há o problema das contas bancárias e do conceito dos profissionais de educação, que vai dificultar o cumprimento do mínimo de 70% do Fundeb para pagamento desses profissionais", destacou Mariza ao lembrar que todas as preocupações da CNM já foram oficializadas junto ao Ministério da Economia. Ela também falou de dúvidas para o ano de 2022, que ainda não estão esclarecidas pela União. "A gente entende que não temos mais tempo para fazer um debate do ponto de vista técnico e político adequado para fazer uma adequação consequente da Lei", lamentou Mariza ao defender a importância de se debater com calma, pois o Fundeb é permanente. (Grifos do Dever de Classe). Continua, após o anúncio.

Também segundo a mesma matéria da CNM:

Após todos os apontamentos, foi aberto espaço para esclarecimentos de dúvidas enviadas pelos gestores municipais que acompanharam a transmissão ao vivo. E, no final de sua apresentação, [Mariza Abreu] reforçou que a CNM continua na expectativa da publicação da portaria que precisa ser divulgada até no máximo dia 30 de setembro, com nova estimativa da receita do Fundeb para ainda em 2021, novos valores do Fundo para cada Ente federado, novos valores da complementação do Valor Aluno Ano do Fundeb (VAAF) e da complementação do Valor Aluno Ano Total (VAAT). (Grifo do Dever de Classe).

Reajuste do piso 2022

O Valor Aluno Ano do Fundef (VAAF) está diretamente relacionado ao reajuste de 12,5% estimado para o piso nacional do professor em 2022.

Veja a live:

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema e aproveite também para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

PIX - Celular 86988453625 João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...