Ministro de Bolsonaro promete dinheiro a universidades que abrirem as portas para a morte

18/04/2020

Educação / Proposta criminosa e inconsequente vai de encontro ao que pregam autoridades médicas nacionais e estrangeiras.

COMPARTILHE!

Publicidade

Ministro da Educação Abraham Weintraub quer expor professores e alunos ao coronavírus. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil. Efeito em preto em branco: Dever de Classe.
Ministro da Educação Abraham Weintraub quer expor professores e alunos ao coronavírus. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil. Efeito em preto em branco: Dever de Classe.

O ministro da Educação Abraham Weintraub postou hoje (18) no Twitter que premiará universidades que abrirem as portas em plena pandemia de coronavírus. Com outras palavras, fez um chamado à morte de estudantes, professores e outros profissionais das instituições de ensino superior. 

Weintraub é um dos assessores mais queridos do presidente Bolsonaro, também defensor da mesma proposta de retorno imediato às aulas em todos os níveis de ensino. Vote na enquete ao final da matéria e dê também sua opinião sobre este tema. Continua, após o anúncio.

Leia também:

  1. Bolsonaro manda professores e alunos para o corredor da morte, diz biólogo
  2. Descompasso no governo pode levar a cancelamento do ano letivo, diz analista
  3. Voltar às aulas antes do segundo semestre é muito perigoso, diz professor

Proposta criminosa

Questionado por um internauta no Twitter sobre as universidades que estão paradas, o ministro respondeu: "Autonomia universitária... Porém, as que estão dando aulas receberão mais recursos e serão premiadas. Há joio e há trigo..."

A proposta do ministro Weintraub é criminosa, inconsequente e vai de encontro ao que pregam autoridades médicas nacionais e estrangeiras, além da própria Organização Mundial de Sáude (OMS). Continua, após o anúncio.

Freio

"É preciso dar um freio nesse ministro irresponsável e em todo esse governo Bolsonaro. Do contrário, o número de mortos e infectados no Brasil devido à Covid-19 pode sair de vez do controle", diz o estudante universitário catarinense Carlos Assunção.

De fato, a situação é grave no mundo todo. No Brasil, porém, além da luta contra o vírus, há ainda a guerra contra um governo insano.

Vote na enquete e dê sua opinião sobre este tema.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

"Já falei mais de mil vezes: o que define o reajuste é o texto da lei 11.718, que continua totalmente em vigor. Além disso, o índice de 33,23% é baseado em portarias interministeriais do governo federal, algo que também já foi definido em 2021. O anúncio oficial por parte do MEC é só uma mera formalidade, não faz parte...
Inimigos do magistério insistem na tese falsa de que o critério de reajuste do piso nacional da categoria, fixado na Lei 11.738/2008, perdeu sua eficácia, algo que a CNTE desconstrói facilmente a todo instante, com argumentos baseados na lei. Jurista consultado pelo Dever de Classe orienta educadores a não dar ouvidos às mentiras do governo e CNM,...
Entidade rebate mentiras do MEC e declara em Nota Pública que "mantém o entendimento de plena vigência da Lei 11.738 e lutará pela aplicação do reajuste de 33,23% ao piso do magistério, em todos os entes da federação, seguindo a determinação da ADI 4848, STF."