Capitão ataca LGBTs e os exclui de diretrizes dos Direitos Humanos! Leia e compartilhe...

02/01/2019 15:50

Presidente Bolsonaro e Damares Alves, ministra do novo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos / Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Presidente Bolsonaro e Damares Alves, ministra do novo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos / Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Muitos integrantes da população LGBT estão agora arrependidos por terem dado apoio a Bolsonaro e agora pretendem lutar para não serem perseguidos

Política | A Medida Provisória de nº 870/19, assinada por Jair Bolsonaro (SPL) nesta terça-feira (1), retirou a população LGBT da lista de políticas e diretrizes destinadas à promoção dos Direitos Humanos. Informe é do site Gay1.

Leia também:

Segundo também o Gay1:  "A MP explicita as mudanças na estrutura dos ministérios, incluindo o novo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado pela pastora Damares Alves. A edição foi publicada no Diário Oficial da União ainda nesta terça."


Coerência

Com tal medida, Bolsonaro e sua ministra Damares Alves estão somente cumprindo promessa de campanha. Sobretudo o capitão, durante todo o processo eleitoral de 2018, deixou muito claro que iria praticar uma política homofóbica contra os LGBTs. Continua, após anúncio.

Arrependidos

Muitos integrantes da população LGBT estão agora arrependidos por terem dado apoio a Bolsonaro. "Achei que era brincadeira ou fake news quando o capitão dizia que não gostava da gente. Só me resta agora reconhecer o erro e lutar para não ser perseguido", diz Thiago N, gay.

Leia também: