Enquete mostra rejeição à proposta nazista de Bolsonaro sobre separação de alunos

09/01/2021

Ideia é absurda e recebeu desaprovação de educadores, partidos de esquerda e pessoas progressistas de todo o País.

Publicidade

Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Educação | A proposta nazista de Jair Bolsonaro que visa separar na sala de aula alunos com "inteligência" de outros com "deficiência" é desaprovada por educadores, partidos de esquerda e pessoas progressistas de todo o País. Após o anúncio, vote na enquete sobre o tema e dê também sua opinião.

Veja a declaração nazista do presidente e vote na enquete em seguida.

"O que acontece na sala de aula: você tem um garoto muito bom, você pode colocar na sala com melhores. Você tem um garoto muito atrasado, você faz a mesma coisa. O pessoal acha que juntando tudo, vai dar certo. Não vai dar certo. A tendência é todo mundo ir na esteira daquele com menor inteligência. Nivela por baixo. É esse o espírito que existe no Brasil." (Fonte: Correio Brasiliense, 6/1/2021).

Curta abaixo nossa página no Facebook e receba em breve mais detalhes sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...