Coronavírus: "De todos os elementos perigosos, a escola é o maior", diz jornalista da Band News

20/04/2020

Educação / Reinaldo Azevedo adverte que crianças e jovens tendem a ser portadores assintomáticos e podem contaminar milhões de professores.

COMPARTILHE!

Publicidade

Imagem: aplicativo Canva.
Imagem: aplicativo Canva.

Reinaldo Azevedo — um dos mais influentes jornalistas do País — foi taxativo ao comentar na Band News (17) a ideia do presidente Jair Bolsonaro de querer retorno imediato às aulas em todo o Brasil em plena pandemia de coronavírus. Disse ele, no programa "O É da Coisa: "De todos os elementos perigosos, a escola é o maior." 

Azevedo lembrou ainda que milhões de professores podem ser contaminados e que Bolsonaro infringe o Artigo 268 do Código Penal, algo que inclusive dá cadeia e multa. Continua, após o anúncio.

Leia também:

  1. Biólogo alerta sobre perigo de voltar às aulas antes do segundo semestre
  2. Bolsonaro manda professores e alunos para o corredor da morte, diz biólogo
  3. Ministro de Bolsonaro promete dinheiro a universidades que abrirem as portas para a Covid-19

Perigo

Sobre o perigo de reabrir as escolas antes que a pandemia esteja controlada, Reinaldo Azevedo argumenta que crianças e jovens tendem a ser portadores assintomáticos do vírus, ou então podem adquirir formas leves da doença que nem aparecem. Com isso, adverte, podem contaminar seus avós, seus pais e milhões de professores em todo o Brasil.

Cadeia e multa

Em sua fala, o jornalista da Band News fala ainda que Bolsonaro infringe o Artigo 268 do Código Penal, algo inclusive que dá cadeia e multa.

Vote na enquete:

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.