Coronavírus: "De todos os elementos perigosos, a escola é o maior", diz jornalista da Band News

20/04/2020

Educação / Reinaldo Azevedo adverte que crianças e jovens tendem a ser portadores assintomáticos e podem contaminar milhões de professores.

COMPARTILHE!

Publicidade

Imagem: aplicativo Canva.
Imagem: aplicativo Canva.

Reinaldo Azevedo — um dos mais influentes jornalistas do País — foi taxativo ao comentar na Band News (17) a ideia do presidente Jair Bolsonaro de querer retorno imediato às aulas em todo o Brasil em plena pandemia de coronavírus. Disse ele, no programa "O É da Coisa: "De todos os elementos perigosos, a escola é o maior." 

Azevedo lembrou ainda que milhões de professores podem ser contaminados e que Bolsonaro infringe o Artigo 268 do Código Penal, algo que inclusive dá cadeia e multa. Continua, após o anúncio.

Leia também:

  1. Biólogo alerta sobre perigo de voltar às aulas antes do segundo semestre
  2. Bolsonaro manda professores e alunos para o corredor da morte, diz biólogo
  3. Ministro de Bolsonaro promete dinheiro a universidades que abrirem as portas para a Covid-19

Perigo

Sobre o perigo de reabrir as escolas antes que a pandemia esteja controlada, Reinaldo Azevedo argumenta que crianças e jovens tendem a ser portadores assintomáticos do vírus, ou então podem adquirir formas leves da doença que nem aparecem. Com isso, adverte, podem contaminar seus avós, seus pais e milhões de professores em todo o Brasil.

Cadeia e multa

Em sua fala, o jornalista da Band News fala ainda que Bolsonaro infringe o Artigo 268 do Código Penal, algo inclusive que dá cadeia e multa.

Vote na enquete:

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.