Brasil continua a bater recordes negativos em relação ao coronavírus

31/05/2020

Já são 28.834 mortes e País perde apenas para Estados Unidos (103.605), Reino Unido (38.458) e Itália (33.340). Dados são da universidade norte-americana Johns Hopkins.

COMPARTILHE!

Publicidade

Número de mortes cresce, enquanto o presidente Jair Bolsonaro continua a pregar contra o isolamento social e ameaça instalar nova ditadura no País. Foto: Agência Brasil
Número de mortes cresce, enquanto o presidente Jair Bolsonaro continua a pregar contra o isolamento social e ameaça instalar nova ditadura no País. Foto: Agência Brasil

Saúde | Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil registrou ontem (30) 956 novos óbitos por Covid-19. Com isso, ultrapassou a França em mortes e chegou ao 4º lugar em fatalidades decorrentes da doença no mundo.

O País já tem 28.834 mortes e 498.440 casos, dos quais 33.274 foram registrados nas últimas 24 horas, o terceiro recorde na semana. Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro continua a pregar contra o isolamento social, defender cloroquina e ameaça instalar nova ditadura no País. 

Após o anúncio, veja a evolução da doença no mundo e como o Brasil foi crescendo em número de mortos.

Números alarmantes

Matéria do Globo (30) destaca:

De acordo com a universidade norte-americana Johns Hopkins, quando observado o número de mortes, o Brasil perde apenas para Estados Unidos (103.605), Reino Unido (38.458) e Itália (33.340). A França, que agora está em 5º lugar, tem 28.717 óbitos pelo novo coronavírus, enquanto a Espanha tem 27.125 mortes. 

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Benefício será depositado na conta de professores e todos os demais servidores da educação ainda neste mês de dezembro. Detalhe do anúncio mostra que não é só do Fundeb que há sobras de recursos, algo que deve ser observado pelo magistério de todo o Brasil.
Medidas visam adequar prefeitura de Teresina à Reforma da previdência criada pelo presidente Jair Bolsonaro, do qual o prefeito José Pessoa (MDB) é forte aliado. Direção do Sindserm-THE chama mobilização para Câmara Municipal, com o intuito de barrar as horrendas iniciativas.
Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...