Bolsonaro diz que congelar salários até dezembro de 2021 "é bom" para os servidores públicos

21/05/2020

Magistério é um dos setores prejudicados pela medida Congelamento atinge União, estados e municípios.

COMPARTILHE!

Publicidade

Jair Bolsonaro e seu ministro Paulo Guedes sacrificam mais uma vez o funcionalismo público. Foto: Agência Brasil
Jair Bolsonaro e seu ministro Paulo Guedes sacrificam mais uma vez o funcionalismo público. Foto: Agência Brasil

Economia | Segundo matéria da Folha de S.Paulo (21), o presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (21) que sancionará projeto de socorro aos estados e municípios para ajudar no combate à pandemia de coronavírus. No mesmo anúncio, pediu apoio aos governadores para congelar os salários do funcionalismo público da União, estados e municípios até dezembro de 2021. O capitão "justificou" com a frase: "É bom para o servidor".

Medida aprovada antes na Câmara e Senado poupava parte do funcionalismo desse congelamento. Correção do piso dos professores é um dos reajustes que ficam prejudicados pelo projeto. No geral, todo o funcionalismo fica no prejuízo, em particular os que ganham menos. Continua, após o anúncio.

"Bom para o servidor"

Conforme está destacado na Folha, o presidente Bolsonaro declarou que o congelamento "é bom para o servidor": 

"É bom para o servidor, porque o remédio é o menos amargo, mas é de extrema importância para todos os 210 milhões de habitantes."

A Folha diz ainda que o capitão lembrou também que os "trabalhadores da iniciativa privada estão perdendo empregos na crise ou sofrendo corte salarial, e que a renda dos trabalhadores informais também caiu por causa da pandemia do novo coronavírus." Continua, após o anúncio.

Piso do magistério e outros reajustes prejudicados

Medida anunciada por Bolsonaro será mais um forte empecilho para o reajuste do piso nacional dos professores, inclusive o deste ano (12,84%), nos lugares onde ainda não foi cumprido.

"Prefeitos e governadores, com certeza, usarão projeto do governo federal como mais um argumento para querer negar os reajustes do magistério relativos a 2020 e 2021. Caberá aos sindicatos da categoria reagirem quanto a isso, pois o piso dos professores foi instituído por uma lei federal", disse o jurista Carlos N Freitas, consultado pelo Dever de Classe.

Freitas lembra também que no geral todo o funcionalismo estará prejudicado.

Proposta de congelamento de Bolsonaro ainda terá que ser aprovada no Congresso Nacional. 

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

1932. O mafioso Al Capone começa, em Atlanta, a cumprir uma sentença de onze anos de prisão por sonegação de impostos.

1979. Margaret Thatcher vence as eleições gerais do Reino Unido e torna-se a primeira mulher a ser primeira-ministra britânica.

No entendimento de José Professor Pachêco e Renato Coelho de Farias, a correção do piso deve ser pelo custo aluno executado, e não pelo custo aluno estimado. Deste modo, índice de 2024 é 4,70%, e não 3,62%. Nesta linha, valor nominal deste ano é R$ 4.633,44, em vez de R$ 4.580,57. Foi o que divulgamos aqui em matéria do Dever...