Após general assumir ministério, número de mortos por Covid-19 no Brasil subiu 282%

14/06/2020

As vítimas fatais pularam de 14.817 para 41.828. Brasil já ocupa a vice-liderança em óbitos e está atrás apenas dos EUA. 

COMPARTILHE!

Publicidade

General Eduardo Pazuello, ministro da Saúde. Foto/reprodução.
General Eduardo Pazuello, ministro da Saúde. Foto/reprodução.

Saúde | O general Eduardo Pazuello assumiu o Ministério da Saúde em 16 de maio, indicado pelo presidente Bolsonaro. Menos de um mês depois de sua posse, segundo a jornalista Míriam Leitão (O Globo, 13), número de mortos por Covid-19 no Brasil pulou de 14.817 para 41.828. O crescimento é de 282,29% em casos fatais da doença. Pazuello não tem qualquer formação na área médica e é especialista em Logística.

Vice-campeão em mortes

Segundo a imprensa de todo o mundo destaca, o Brasil ultrapassou o Reino Unidos e já é o vice-campeão mundial em número de mortes por coronavírus. Nosso País está atrás apenas dos EUA. Em todo o território nacional, há registro de mais de 850 mil casos confirmados da doença. Continua, após o anúncio.

Invasão de hospitais

Embora o número de mortes por Covid-19 esteja crescendo em todo o País, o presidente Jair Bolsonaro continua a pregar que tudo não passa de uma farsa montada pelos governadores, mídia e Organização Mundial de Saúde. Dominado por tal loucura, incentiva seus seguidores a invadir hospitais para constranger os profissionais da saúde e desmontar o que chama de "uma grande mentira".

Na prática, Bolsonaro é o principal culpado pelo crescimento do número de mortes e casos de coronavírus no Brasil. Se não for detido, muito mais gente certamente pode se contaminar e morrer.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.