Petista defende chapa Boulos-Erundina, caso Haddad não aceite ser candidato a prefeito em SP

13/07/2020

Breno Altman é um dos principais analistas políticos da esquerda brasileira; ele avalia que a candidatura de Jilmar Tatto tem legitimidade, mas não tem votos.

COMPARTILHE!

Publicidade

Guilherme Boulos e Luisa Erundina, chapa do PSOL à prefeitura de SP em 2020. Foto: Esquerda Online.
Guilherme Boulos e Luisa Erundina, chapa do PSOL à prefeitura de SP em 2020. Foto: Esquerda Online.

Política | Breno Altman é editor do site Opera Mundi, filiado ao Partido dos Trabalhadores e um dos principais analistas políticos da esquerda brasileira. No programa Bom Dia 247 desta segunda-feira (13), ele defendeu a chapa Boulos-Erundina à prefeitura de São Paulo, caso Fernando Haddad não substitua Jilmar Tatto, candidato escolhido pelo PT

Altman diz que Tatto tem legitimidade e é um grande quadro, mas as pesquisas mostram que não tem votos e pode ser um fiasco eleitoral, o que comprometeria o PT e toda a esquerda nacional, dada a importância de São Paulo no contexto eleitoral do País. Continua, após o anúncio.

Leia também:

  1. Por que Queiroz deu R$ 24 mil à esposa de Jair Bolsonaro? É pagamento? De quê?
  2. Como um motorista conseguiu mais de R$ 1,2 milhão em apenas um ano e ainda assim pediu mais R$ 40 mil a Bolsonaro?
  3. Após delação de Moro contra Bolsonaro, veja os 7 crimes por trás das denúncias e as penas que os dois podem pegar

Segundo turno

Breno Altman diz que as chapas do PSOL e PT separadas correm o sério risco de não irem para o segundo turno, o que fortaleceria a direita de conjunto, algo muito ruim, principalmente num momento em que um fascista como Bolsonaro está no comando da presidência da república. Continua, após o anúncio.

A saída, segundo o analista político, é tentar convencer Fernando Haddad a assumir a candidatura pelo PT. Caso isto não seja possível, o correto é o partido de Lula apoiar a chapa Boulos-Erundina, vez que, com a esquerda unificada, é o PSOL que tem mais condições de chegar ao segundo turno e vencer, avalia Altman.

Polêmica

A proposta é polêmica e certamente provocará muitos debates internos, principalmente dentro do PT e PSOL.

COMPARTILHE!

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.