Chile | Povo nas ruas faz governo pedir perdão e ceder benefícios! Acesse...

22/10/2019

Publicidade

Internacional / Chilenos disseram um sonoro NÃO ao mesmo projeto que Jair Bolsonaro e Paulo Guedes querem impor no Brasil. Não tarda e o povo brasileiro também sairá às ruas contra as políticas de fome do bolsonarismo.

COMPARTILHE!

Bolsonaro e o presidente do Chile, Sebastián Piñera. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil.
Bolsonaro e o presidente do Chile, Sebastián Piñera. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil.

As intensas mobilizações do povo chileno começaram a surtir efeito. Após vários dias tomando as ruas das principais cidades do país, massas conseguem fazer o presidente Sebastián Piñera pedir perdão e ceder vários benefícios, como o aumento das pensões e criação de uma Agenda Social. Piñera promete também elevar impostos para os mais ricos. 

Na prática, os chilenos estão dizendo um grande NÃO ao projeto neoliberal que há décadas pauperiza a maioria do povo e enriquece ainda mais meia dúzia de especuladores do mercado financeiro. A maioria no Chile rejeita o que Jair Bolsonaro quer aplicar aqui, como o fim da aposentadoria dos trabalhadores, aprovada ontem (22) no Senado. Não tarda e os brasileiros também vão cair na real. Continua, após o anúncio.

Perdão

Segundo está registrado na mídia do mundo inteiro, Sebastián Piñera reconheceu que é um presidente sem visão, por isso pediu perdão ao povo:

— É verdade que os problemas se acumulavam há décadas, e que os vários governos não foram, nem nós fomos, capazes de reconhecer essa situação em toda sua magnitude. Reconheço e peço perdão por essa falta de visão. 

Continua, após o anúncio.

Assassino

A promessa de ceder direitos, no entanto, não tornará Piñera um governante menos ruim. Desde que as manifestações começaram, 15 populares foram assassinados. Essa conta ficará para sempre na história desse presidente. Bolsonaro precisa ficar atento quanto aos exemplos do povo chileno.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Desde 2013, o STF considerou como constitucional a Lei do Piso Nacional dos professores. O mesmo Supremo decidiu ainda que o critério de reajuste anual também está de acordo com a Constituição Brasileira. Tal decisão se deu em fevereiro de 2021, isto é, já na vigência do novo Fundeb.
Um se refere a figura ou algo notável, ilustre; o outro, a algo que está prestes a ocorrer.