Prefeitos recebem mais de R$ 6 bi neste dia 10

10/03/2022

Dinheiro é do FPM e vem com acréscimo de 26,16% em relação ao mesmo período de 2021. O acumulado do ano é de quase R$ 38 bilhões. Municípios não podem alegar falta de recursos para honrar compromissos, como por exemplo cumprir o reajuste dos professores.

Alta nos recursos vêm desde 2021. Imagem: Webnode.
Alta nos recursos vêm desde 2021. Imagem: Webnode.

Economia | Nesta quinta-feira (10), os prefeitos do País receberão a primeira parcela de março do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), cujo valor é R$ 6.110.160.171,99. Deste total, 20% são descontados automaticamente para o Fundeb, dinheiro carimbado principalmente para pagar os profissionais da educação. 

Crescimento

Soma é 26,16% superior em relação ao mesmo período de 2021. O acumulado do ano é R$ 37,8 bilhões. Dados são da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e Confederação Nacional dos Municípios (CNM), entidade que vive dizendo que prefeitos não têm dinheiro para pagar o reajuste de 33,23% do magistério.

Continua, após o anúncio.

Piso do professor

Com os quase R$ 40 bilhões recebidos de FPM de janeiro até aqui, fica claro que só não cumpre o reajuste dos professores quem não quiser. Alta nos recursos tende a continuar por todo este ano de 2022. E boa parte deles, reiteramos, é para pagar os profissionais da educação.


Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite para deixar também uma contribuição para o nosso site.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org - João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação...

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.