"Ministro pastor é do tempo do 'bumba' e nocivo à educação", escreve editor do Dever de Classe

12/07/2020

COMPARTILHE!

Milton Ribeiro é adepto de castigos físicos como método de ensino, algo que se contrapõe a todas as formas de conhecimento, do Mito à Ciência. 

Publicidade

Landim Neto, editor do Dever de Classe. Foto: arquivo pessoal.
Landim Neto, editor do Dever de Classe. Foto: arquivo pessoal.

Educação | Por Landim Neto*. O presidente Bolsonaro anunciou o pastor Milton Ribeiro como novo ministro da Educação. Internautas rapidamente descobriram — através de vídeos nas redes sociais — que o escolhido é um poço de reacionarismo e um homem terrivelmente retrógrado. 

Ribeiro defende castigos físicos como método de ensino e acha que o homem é que deve ser o 'mandão' da família. É, no dito popular, o que se pode chamar de pessoa do "tempo do bumba".

A expressão "tempo do bumba" refere-se a coisas velhas e ultrapassadas. O novo ministro é desse time. Não que seja velho na idade. Contudo, no tipo de ideia autoritária e imbecil que acredita, já está bastante puído, o que o torna nocivo à educação. 

Como pode alguém crer que uma criança deva sentir dor para se educar? E que papel educativo pode cumprir um ministro que secundariza a mulher na família e diz que o homem é que manda?

Ora, todas as formas de conhecimento — do Mito à Ciência — mostram que o ser humano é vocacionado ao prazer e ao bem-estar, algo que nada tem a ver com pancadaria, violência ou, muito menos, com opressão às mulheres.

É preciso tirar o pastor Milton Ribeiro desse "tempo do bumba" e trazê-lo para um tempo mais atual. E isto, ao que parece, já começou a ser feito. Devido à pressão que recebeu antes mesmo de tomar posse, apagou o vídeo onde defende castigos físicos a crianças. Se continuar o aperto, ele apaga mais...


*Landim Neto é professor da educação básica e editor do Dever de Classe

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Benefício será depositado na conta de professores e todos os demais servidores da educação ainda neste mês de dezembro. Detalhe do anúncio mostra que não é só do Fundeb que há sobras de recursos, algo que deve ser observado pelo magistério de todo o Brasil.
Medidas visam adequar prefeitura de Teresina à Reforma da previdência criada pelo presidente Jair Bolsonaro, do qual o prefeito José Pessoa (MDB) é forte aliado. Direção do Sindserm-THE chama mobilização para Câmara Municipal, com o intuito de barrar as horrendas iniciativas.
Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...