Em 2022, governo projeta mais de R$ 9 bi para reajuste de militares; para civis, zero

01/09/2021 09:34

Verba bilionária é para aumento com os adicionais de disponibilidade militar e habilitação, ajuda de custo e aumento de soldo. Para os servidores não fardados, desculpa de Bolsonaro e Guedes é que o País está em crise por causa da pandemia de Covid-19. Por isso, diz que não é possível conceder reajuste salarial.

Publicidade

Em 20 anos, reajustes com militares vão custar R$ 217,66 bilhões aos cofres públicos.
Em 20 anos, reajustes com militares vão custar R$ 217,66 bilhões aos cofres públicos.

Economia | Não há crise econômica no Brasil. Pelo menos quando o assunto é aumentar as regalias de militares. Segundo matéria do Globo (31), o governo Bolsonaro  através do Ministério da Defesa — projeta R$ 9,37 bilhões para reajustar salários dos fardados em 2022. 

Para os civis, contudo, o mesmo governo Bolsonaro fez aprovar uma medida que congela os ganhos desse pessoal por dois anos, sob a desculpa de que os gastos com a pandemia de Covid-19 enfraqueceram a economia do País. Continua, após o anúncio.

Gasto com militares pode ser maior

De acordo também com O Globo, o valor projetado de R$ 9,37 bilhões para aumentar as contas bancárias de militares pode ser maior. Diz o jornalão dos Marinhos:

"Como o GLOBO já mostrou, em 2019, a Defesa estimou que o primeiro ano da reestruturação teria impacto de R$ 4,73 bilhões. Mas os dados Painel Estatístico de Pessoal (PEP), do Ministério da Economia, apontam que o aumento nessas despesas foi de R$ 5,55 bilhões, um valor 17% superior ao projetado." Continua, após o anúncio.

Mamata

Por conta da Reforma da Previdência, onde os militares ganharam um gracioso Plano de Cargos e Salários, em 20 anos, reajustes com fardados vão custar R$ 217,66 bilhões aos cofres públicos. É, parece que a mamata agora foi que começou.

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Facebook, para receber atualizações sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este tema!

Mais recentes sobre economia