Guedes anuncia novos cortes de direitos trabalhistas e tenta justificar com lorotas na Globo

20/05/2020 06:35

A mentira maior consiste em dizer que eliminar direitos do trabalhador gera mais empregos, mesma balela usada para aprovar reformas Trabalhista e da Previdência.

COMPARTILHE!

Publicidade

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Economia | Segundo matéria do Globo (19), o ministro da Economia Paulo Guedes — homem forte do governo Bolsonaro — reuniu-se a portas fechadas com grandes empresários e anunciou mais cortes de direitos dos trabalhadores. Intenção exposta é acabar com sindicatos laborais e com o que resta de legislação trabalhista no País. 

Para tentar justificar sua macabra intenção, Guedes usa o jornalão dos Marinhos para pregar uma série de lorotas já bem conhecidas da maioria do povo, conforme veremos após o anúncio.

Cortar tudo dos trabalhadores

A matéria do Globo mostra muito bem o que Paulo Guedes e o governo Bolsonaro querem fazer contra os trabalhadores. O ministro diz:

Nós temos que ter coragem de lançar um sistema onde há muitos mais empregos, mas com muito menos encargos trabalhistas, com menos interferência de sindicatos, com menos legislação trabalhista. Nós vamos correr esse risco, vamos avançar nessa direção.

Guedes cita ainda a implantação da carteira verde amarela como um dos seus objetivos. O trabalhador que for regido por essa carteira será submetido a um regime de semiescravidão, pois não terá praticamente nenhum direito trabalhista. Após o anúncio, veja as mentiras para tentar justificar tais propostas.

Lorotas

Paulo Guedes afirma em sua reunião fechada com grandes empresários que cortar mais direitos dos trabalhadores possibilitará a criação de mais empregos. Veja, segundo também O Globo:

Nós podemos gerar 10, 15, 20 milhões de empregos nos próximos um, dois, três anos — disse o ministro.

Essa super balela é antiga e foi usada também por Michel Temer quando da aprovação da Reforma Trabalhista, que extinguiu conquistas históricas da CLT. Após aprovação da medida, desemprego não só não diminuiu como fez foi aumentar na época. Continua, após o anúncio.

Outro exemplo

Outro exemplo de que cortar direitos trabalhistas na prática não gera novo emprego nenhum é a reforma da Previdência, imposta pelo governo Bolsonaro. Medida simplesmente acabou com a aposentadoria dos trabalhadores privados e públicos. 

Quantos empregos foram gerados com isso? Nenhum. Fila de desempregados fez foi crescer, mesmo antes da pandemia de coronavírus.

Portanto, o que o ministro Paulo Guedes e o presidente Bolsonaro querem fazer é cortar na carne dos trabalhadores para engodar ainda mais os lucros dos grandes empresários e banqueiros. E gerar novos empregos passa é longe disso.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...