Professores exigem 33,23% e marcam paralisação geral

04/02/2022

Educadores anunciam estado de greve e disposição para lutar pelo cumprimento integral do reajuste garantido na lei do piso nacional da categoria.

Em destaque, professor Maércio Maia defende luta em defesa da correção salarial do magistério. Foto: arquivos Dever de Classe.
Em destaque, professor Maércio Maia defende luta em defesa da correção salarial do magistério. Foto: arquivos Dever de Classe.

Educação | Os trabalhadores em educação da rede estadual de ensino do Piauí realizaram grandiosa Assembleia Geral ontem (3) e decidiram entrar em estado de greve pelo cumprimento do reajuste de 33,23%. Trabalhos foram coordenados pela Direção do Sinte-Pi, tendo à frente a professora Paulina Almeida.

Paralisação

A primeira atividade para pressionar o governador Wellington Dias (PT) a cumprir o reajuste será uma paralisação geral segunda-feira (7), data de possível início do ano letivo. Magistério fará carreata até o Palácio de Karnak, sede do governo.

Anos anteriores

Além da correção salarial deste ano, o professor Maércio Maia, do Dever de Classe, alertou em sua fala que há também reajustes de 2019 e 2020 não cumpridos. "A luta deve ser também por esses atrasados", destacou.

Leia também: 


Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite também para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org - João R P Landim Nt 

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...