Governadora quer que os professores estejam entre os primeiros a se vacinar contra a Covid-19

09/01/2021

Fátima Bezerra (PT) é docente e enviou uma carta ao presidente Bolsonaro solicitando que os profissionais do magistério de todo o Brasil sejam incluídos nas fases iniciais da vacinação contra Covid-19.

Publicidade

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil.
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil.

Educação | A governadora do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra (PT) enviou uma carta ao presidente Jair Bolsonaro solicitando que os professores de todo o Brasil sejam incluídos nas fases iniciais da vacinação contra a Covid-19. O pedido leva em conta "a importância dos educadores para a retomada do desenvolvimento socioeconômico, científico e cultural do país." Continua, após o anúncio.

Riscos

Segundo a CNTE:

O pedido leva em conta [também] que mesmo com a adoção dos protocolos de segurança para o retorno às aulas presenciais, as medidas serão insuficientes sem a garantia da vacinação, colocando em risco toda a comunidade escolar e seus familiares. "Os impactos causados diretamente aos profissionais e aos estudantes, em especial na educação pública no País, aprofundam as desigualdades de acesso e de permanência já existentes nas escolas e promovem enormes prejuízos à qualidade da aprendizagem, em todos os níveis e etapas", alerta a governadora.

Por isso, a CNTE também reforça a importância da imunização a todos e todas e defende que os profissionais da educação sejam incluídos no grupo prioritário de vacinação.

Curta abaixo nossa página no Facebook e receba em breve mais detalhes sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.