Dilma, mulher de esquerda, autorizou o maior reajuste salarial para professores dos últimos 25 anos! Leia e compartilhe...

08/03/2019 13:54

Presidenta Dilma Rousseff. Foto: Agência Brasil.
Presidenta Dilma Rousseff. Foto: Agência Brasil.

Bolsonaro — macho da direita fascista — fez o oposto e deu o percentual mais baixo da história

Educação | O ano era 2012. O ministro da Educação era Aloizio Mercadante (PT). A presidenta da república era Dilma Rousseff (PT). Foi nessa época recente onde o país era comandado por uma mulher de esquerda que os professores da educação básica de estados e municípios tiveram direito a reajuste salarial de 22,22%, o maior desde a criação do Plano Real, há 25 anos. Ao autorizar tamanho aumento, Dilma e seu ministro Mercadante possibilitaram  um ganho real de mais de 16% aos mestres dos estados e municípios que cumpriram a lei do piso nacional do magistério no ano supracitado. Ver gráfico ao final da matéria com evolução do piso dos professores.


Maior reajuste depois do Plano Real

Esse reajuste de 22,22% foi o maior desde a implantação do Plano Real no governo Itamar Franco, em 1994. Com o Real e o declínio da inflação, reajustes para trabalhadores passaram a ser discutidos no máximo a partir do INPC oficial divulgado pelos governos todos os anos. Quando Lula sancionou em 2008 a lei nacional do piso dos professores (11.738/2008), a categoria passou a ter reajustes bem acima da inflação oficial, embora muitos prefeitos e governos estaduais insistam em não cumprir esse direito dos educadores.


Com Bolsonaro, o menor reajuste

Se uma mulher de esquerda foi capaz de autorizar o maior reajuste para professores nos últimos 25 anos, com homens de direita os docentes só tiveram a perder. Temer passou a tesoura nos reajustes e Bolsonaro deu o percentual mais baixo da história, 4,17%. Um viva às mulheres! Após o anúncio, veja evolução do piso nacional do magistério.

Veja:

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Leia também: