Bolsonaro cria mais de 1.000 novos cargos e gratificações para agraciar militares

02/09/2021 18:32

Os novos benefícios — uma espécie de mensalão legalizado — serão acrescentados aos extras que oficiais já recebem para ocupar cargos comissionados no governo. Dinheiro já está reservado para o ano de 2022: quase R$ 55 milhões.

Publicidade

Para os militares, tudo. Para o povo, covid, desemprego e arrocho salarial. Foto: Agência Brasil.
Para os militares, tudo. Para o povo, covid, desemprego e arrocho salarial. Foto: Agência Brasil.

Política | Quando se trata de agradar militares, o presidente Jair Bolsonaro é super capaz. O capitão esquece a crise econômica e arranja dinheiro às pressas e à vontade.

Na previsão de orçamento que entregou dia 31 de agosto ao Congresso, Bolsonaro reservou R$ 54,943 milhões para bancar 1.029 novos cargos e gratificações para agraciar ainda mais os fardados que estão na burocracia do governo federal, seja na Presidência da República ou nos ministérios. Continua, após o anúncio.

Na prática, é uma espécie de mensalão extra e legalizado pago com dinheiro público. Enquanto isso, muitos continuam a morrer de Covid-19, e o desemprego, fome e arrocho salarial aterrorizam milhões em todo o País.

Mamata pode ser barrada

A ideia do presidente Bolsonaro de dar mais dinheiro público a militares pode ser barrada. Proposta de emenda à Constituição de autoria da deputada Perpétua Almeida (PC do B-AC) proíbe presença de militares da ativa no governo. Projeto foi apresentado em julho e deve entrar em breve em discussão.

Com informações de: O Globo (01/09/2021 • 09:00)

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Facebook, para receber atualizações sobre este tema.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre política