Bancos têm que doar pelo menos 30% dos lucros de 2019 para amenizar crise do coronavírus

30/03/2020

Economia / Valor corresponde a quase R$ 25 bilhões e, na verdade, foi arrancado do povo através de juros e outras extorsões do sistema financeiro.

COMPARTILHE!

Publicidade

Foto: aplicativo Canva
Foto: aplicativo Canva

Segundo circulou na grande mídia nacional, os quatro maiores bancos do País lucraram juntos R$ 81,5 bilhões em 2019. Eis: Itau: R$ 26,583 bilhões; Bradesco: R$ 22,6 bilhões; Banco do Brasil: R$ 18,16 bilhões; Santander: 14,181 bilhões. 

O mais sensato neste instante é que no minimo 30% desse total, cerca de R$ 25 bilhões, sejam usados de forma emergencial para ajudar a conter a gravíssima crise que atinge o País causada pelo coronavírus. Este dinheiro na verdade foi arrancado do povo via juros e outras extorsões praticadas pelas instituições financeiras. Continua, após o anúncio.

Como usar

O dinheiro vindo de parte dos lucros dos bancos podem ser usados para:

  • Comprar respiradores, máscaras, álcool gel e outros equipamentos hospitalares.
  • Socorrer pequenas e microempresas que não têm capital de giro para ficar muito tempo com as portas fechadas.
  • Melhorar o auxílio financeiro aos desempregados e autônomos.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.