Bancos têm que doar pelo menos 30% dos lucros de 2019 para amenizar crise do coronavírus

30/03/2020

Economia / Valor corresponde a quase R$ 25 bilhões e, na verdade, foi arrancado do povo através de juros e outras extorsões do sistema financeiro.

COMPARTILHE!

Publicidade

Foto: aplicativo Canva
Foto: aplicativo Canva

Segundo circulou na grande mídia nacional, os quatro maiores bancos do País lucraram juntos R$ 81,5 bilhões em 2019. Eis: Itau: R$ 26,583 bilhões; Bradesco: R$ 22,6 bilhões; Banco do Brasil: R$ 18,16 bilhões; Santander: 14,181 bilhões. 

O mais sensato neste instante é que no minimo 30% desse total, cerca de R$ 25 bilhões, sejam usados de forma emergencial para ajudar a conter a gravíssima crise que atinge o País causada pelo coronavírus. Este dinheiro na verdade foi arrancado do povo via juros e outras extorsões praticadas pelas instituições financeiras. Continua, após o anúncio.

Como usar

O dinheiro vindo de parte dos lucros dos bancos podem ser usados para:

  • Comprar respiradores, máscaras, álcool gel e outros equipamentos hospitalares.
  • Socorrer pequenas e microempresas que não têm capital de giro para ficar muito tempo com as portas fechadas.
  • Melhorar o auxílio financeiro aos desempregados e autônomos.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.