Informe do Ministério da Saúde ao STF não inclui docentes nos grupos prioritários para vacinação

14/01/2021

Segundo o cronograma divulgado, apenas o pessoal da saúde e idosos — acima de 80 anos — estão na lista para vacinação a partir da próxima semana. Não há, portanto, motivos para tanta pressão pela reabertura imediata das escolas.

Publicidade

É um erro não colocar os professores como prioridade no cronograma da vacinação. Imagem: aplicativo Canva.
É um erro não colocar os professores como prioridade no cronograma da vacinação. Imagem: aplicativo Canva.

Educação | De acordo com cronograma elaborado pelo Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde, apenas o pessoal dessa área e idosos acima de 80 anos estão nos grupos prioritários para vacinação contra Covid-19 a partir da próxima semana em todo o Brasil. 

Documento foi ratificado pelo secretário Arnaldo Correia de Medeiros e pelo ministro da Saúde Eduardo Pazuello, e informado ao Supremo Tribunal Federal (STF), segundo matéria do Globo (14). 

Como os professores não estão incluídos nessa primeira etapa da vacina, não há motivos para tanta pressão pela reabertura imediata das escolas, como querem os organizadores do ato nacional que ocorrerá no próximo sábado, 16. O mais sensato é cancelar tal manifestação. Continua, após o anúncio.

8 milhões de doses

Segundo também o Globo: "A expectativa para o início da vacinação na próxima semana é de 8 milhões de doses." 

Na Saúde serão vacinados 5,8 milhões de profissionais em todo país. Já os idosos com 80 anos ou mais somam 4,4 milhões.

Ato nacional pela reabertura imediata das escolas deve ser cancelado

Pelo fato de os professores não estarem entre os primeiros a serem vacinados, manifestação marcada para o próximo dia 16 que prega reabertura das escolas deve ser cancelada. Pelo menos se o bom senso prevalecer entre os organizadores da mobilização.

Curta abaixo nossa página no Facebook e receba em breve mais detalhes sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre educação...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.