Ensino Médio | "Pobres não devem estudar Filosofia e Sociologia para não se prejudicarem em Matemática e outras disciplinas". Saiba mais e compartilhe...

16/04/2018 15:03

Temer e o ministro Mendonça Filho, da Educação. Dupla é favorável à mutilação do Ensino Médio / Foto: Agência Brasil
Temer e o ministro Mendonça Filho, da Educação. Dupla é favorável à mutilação do Ensino Médio / Foto: Agência Brasil

DA REDAÇÃO | Segundo postagem de hoje (16) da Folha de S.Paulo: "A inclusão de filosofia e sociologia como disciplinas obrigatórias no ensino médio em 2009 prejudicou a aprendizagem de matemática dos jovens brasileiros, principalmente os de baixa rendaA [inacreditável] conclusão é dos pesquisadores Thais Waideman Niquito e Adolfo Sachsida, em estudo inédito [e absurdo] que será publicado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). (Grifos nossos). Tal "estudo", na prática, encaixa-se perfeitamente no que defende o governo golpista de Michel Temer (MDB) para a educação pública do País, conforme veremos mais à frente. (Dê sua opinião na enquete ao final da matéria).

Leia também: Urgente | Educadores rechaçam tese de que Filosofia e Sociologia atrapalham alunos carentes! Saiba mais e compartilhe...

Para os dois gênios autores da "pesquisa", estudantes pobres que tiveram acesso ao estudo da Filosofia e Sociologia também se prejudicaram em Redação, Português, Língua Estrangeira e outras matérias. Logo, sugerem os tais pesquisadores, é preciso enxugar o Ensino Médio e cortar disciplinas, para eles, prejudiciais, como as que supostamente atrapalham a aprendizagem de alunos carentes. (Continua após o anúncio).

Hipótese furada

Ainda de acordo com a matéria da Folha: "A hipótese levantada pelos pesquisadores é que, dada a limitação de carga horária do ensino médio, a inserção obrigatória de qualquer nova disciplina "se reflete em redução no espaço dedicado ao ensino das demais".

Ora, tal hipótese não se sustenta ou é no mínimo insuficiente para que se chegue à ridícula conclusão de que Filosofia e Sociologia levaram, por si sós, ao declínio da aprendizagem da Matemática ou outras disciplinas. Por que os autores da pesquisa não consideraram no estudo as condições materiais das escolas dos alunos pesquisados?

Em todas elas havia de fato professores de Matemática durante todo o ano? Se havia, tais professores estavam devidamente habilitados ao magistério ou eram somente estagiários contratados em situações precárias?, o que leva à ausência da sala de aula etc, etc, etc. E por que a queda em Matemática e não em Física ou Química, disciplinas também de cálculo e que, por isso, dependem da primeira? Essa "pesquisa", na verdade, precisa ser explicada melhor. (Continua após o anúncio)

A serviço dos golpistas e do mercado

Tal pesquisa, na prática, está a serviço do governo golpista de Michel Temer (PMDB) e do seu ministro Mendonça Filho (DEM-PE), da educação, que estão impondo uma reforma no Ensino Médico que retira a obrigatoriedade de várias disciplinas. E também serve aos interesses do mercado, para quem estudantes pobres devem aprender apenas o essencial em Português e Matemática, para servirem com mais subserviência aos grandes patrões. Nem pensar em pobre aprender a pensar.

Temer e seu ministro, na verdade, como bons capachos dos grandes capitalistas, são favoráveis à mutilação severa do Ensino Médio. Neste sentido, a tônica é o corte de várias disciplinas antes obrigatórias — como Filosofia e Sociologia. É a precarização da educação pública movida pelos golpistas que segue seu curso. E essa absurda pesquisa é só um instrumento a mais a serviço disso.


Vote na enquete abaixo!

LEIA TAMBÉM: