Teste para saber se há sobras do Fundeb/2022 e quem pode receber

26/01/2022

Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 de dezembro. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.


Conselho do Fundeb e Ministério Público devem ser acionados para checar os números de prefeitos e governadores relativos ao principal fundo de financiamento da Educação Básica Pública. Imagem: arquivos Webnode.
Conselho do Fundeb e Ministério Público devem ser acionados para checar os números de prefeitos e governadores relativos ao principal fundo de financiamento da Educação Básica Pública. Imagem: arquivos Webnode.

Educação | O Dever de Classe elaborou um teste que permite saber se estados, municípios e Distrito Federal têm possíveis sobras de recursos do Fundeb relativas e quem pode recebê-las em forma de rateio ou abono. Confira, após o anúncio.

Preencha o questionário e veja análise de suas respostas ao final



Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite também para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org - João R P Landim Nt 

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.